Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Rúben Amorim: "No ano passado estava mais preocupado por mim, este ano estou preocupado pelos meus jogadores. Quero mais que eles ganhem"

Na conferência de imprensa de antevisão da final da Taça da Liga, Rúben Amorim, que conquistou a Taça da Liga na época passada, pelo Braga, revelou que TT vai ser titular mas não abriu o jogo em relação a Jovane, nem a Nuno Mendes e Sporar

tribuna expresso

José Lorvão/Sporting

Partilhar

Diferenças em relação ao jogo contra o Braga na Liga (que o Sporting venceu 2-0)

"Não muitas. São duas equipas que já se conhecem melhor porque já se defrontaram, talvez haja diferença nos centrais do Braga, mas as ideias das equipas não mudaram. Tem havido alterações por castigos, covid e fadiga, mas as equipas continuam fortes. Sei que vai ser um jogo muito competitivo, como foi este em Alvalade. Mas cada jogo tem a sua história, se houver um golo no início, por exemplo, será completamente diferente."

Sporar e Nuno Mendes de volta

"Em relação à DGS, não sei se já houve comunicado do Sporting sobre isso. Também contava antes com eles e não estiveram, portanto quando eles estiverem perfilados para entrar é que teremos a certeza. O Braga de certeza que quer defender a verdade desportiva e os factos comprovam que os factos estavam certos, não cometemos nenhuma ilegalidade. Provou-se isso, não queremos alimentar mais polémica. O facto de eles agora poderem jogar comprova que estávamos a dizer a verdade e isso é o mais importante."

Por que razão não foi à conferência de imprensa na meia-final

"Nós temos as nossas razões. Sabemos que vocês não têm culpa e peço desculpa, mas entendemos fazer aquilo. Há coisas que sentimos e não queremos falar nelas".

Marcar perto do final do jogo trabalha-se?

"O mérito é para os jogadores, eles acreditam até ao último momento. Eles são muito irreverentes. Não é nada trabalhado pela equipa técnica, porque se dependesse de nós marcávamos logo no primeiro minuto e despachávamos o assunto."

Mais uma final da Taça da Liga para Amorim

"É muito importante, são momentos diferentes. Naquele momento, no Braga, também era muito importante para mim, por estamos a jogar em casa e por estar no início da carreira. Agora estou no Sporting, a pressão é diferente, o grupo é muito inexperiente nestas andanças. A experiência está mais no outro clube e não no clube grande, isso não é muito normal. Vamos começar por aí. Uma equipa jovem que tem muita ambição. No ano passado estava mais preocupado por mim, este ano estou mais preocupado pelos meus jogadores. Quero mais que eles ganhem do que eu. No ano passado estava mais preocupado pelo início da minha carreira, este ano quero que os meus jogadores ganhem."

O treinador pode fazer a diferença?

"A estrela que eu tenho pode fazer a diferença, é um ponto a favor do Sporting [risos]. Depende do início do jogo, de quem marque primeiro... e no último jogo nem foi o caso. No jogo em Alvalade o encaixe foi muito claro, foi muito equilibrado e acabou por sorrir para nós. Agora temos de olhar para o jogo passado e pensar como é que vamos jogar melhor contra o Braga. Esse foi o nosso objetivo."

Arbitragem

"Não estou nada preocupado. Quando me perguntam, eu falo. Agora só estou focado no que podemos controlar. É jogar melhor, ganhar o jogo e trazer a taça para Alvalade."

Existem jogadores de segunda parte? Como Jovane?

"Penso que não há jogadores de segunda parte. Penso é que devemos ter sempre jogadores no banco que possam mudar o jogo. Seja o Jovane ou outro outro qualquer. Há jogadores que não conseguem entrar no jogo, ou porque são mais lentos ou demoram a adaptar-se, se calhar jogam melhor de início. No nosso caso temos jogadores que querem ser titulares e mesmo quando jogam 10, 20, 30 minutos dão o máximo para depois jogar mais."

A estrela da Amorim é autoconfiança ou soberba?

"Tenha confiança no meu trabalho e falo em estrela porque acho que a sorte tem um papel importante para os treinadores. Acho que a sorte tem um papel importante na nossa vida. Quando mais falo, mais tenho, por isso às vezes aproveito aqui para falar para ver se tenho mais."

Pote a baixar para o meio-campo para pegar no jogo

"Obviamente que os treinadores jogam com as características dos jogadores, o Pote vem para dentro para desequilibrar o adversário. O Fransérgio joga na frente, ajuda no meio, mas também cobre um dos centrais na nossa saída de bola, o encaixe é quase perfeito nesse aspeto. Não vou obviamente dizer a função de cada um... Espero um Braga muito igual ao que tem vindo a ser, Galeno forte na linha, Horta a aparecer entrelinhas mas a ir fora quando não há espaço dentro, Paulinho nos apoios frontais, Musrati e Castro muito intensos e fortes nos duelos, Sequeira tanto a lateral como centrar, o Carmo muito alto, forte, com pancada forte no jogo longo... Conheço bem o plantel e é uma equipa que entende bem o jogo. Vamos fazer o mesmo que o Braga nos vai tentar fazer a nós, que é desequilibrar-nos e criar espaços."

Sentiu-se injustiçado por Sporar e Nuno Mendes

"Já falámos sobre isso. Não queríamos meter jogadores infetados a jogar, longe de nós, nem os queríamos ao pé dos nossos. Eu não me sinto prejudicado, o Sporar e o Nuno é que ficam. Basta sair um membro do staff que ficamos mais fracos, somos um grupo e trabalhamos assim."

Jovane vai ser titular, depois do bis contra o FC Porto?

"Teve a sua semana de treinos, não vou dizer quem joga. O TT [Tiago Tomás, que esteve na conferência de imprensa anterior] já se desmascarou um bocadinho, por isso digo que o TT joga. O resto vão ver amanhã."

Jovane não festejou os golos e chorou no final do jogo

"Compreendo, porque se virmos o historial... O Silas e o departamento médico fizeram um trabalho extraordinário com ele, foi um jogador preponderante, cresceu muito, depois lesionou-se. Começou o ano a avançado e foi criticado, mas por culpa do treinador. Um jogador tão novo, que vive isto, é normal. É um miúdo muito sensível, acho normalíssimo e gostei do apoio de todos os colegas da equipa. Tem o apoio da equipa técnica mas não damos benesses a ninguém, damos oportunidades a todos. Ele estava muito feliz da vida."