Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Sporting

Rúben Amorim: "Taça da Liga? Foi um título muito bom, com um sabor muito importante naquele dia. Hoje não sabe a nada"

Treinador do Sporting sublinha o foco da sua equipa no jogo com o Boavista na terça-feira (21h15, Sport TV1) e que por isso mesmo a vitória no sábado já é passado: "O plantel fez a festa que tinha a fazer na viagem até cá"

Tribuna Expresso

Pedro Zenkl/Sporting

Partilhar

Boavista depois do título

“Foi um título muito bom, com um sabor muito importante naquele dia. Hoje não sabe a nada. É passado e agora temos um jogo muito difícil. Temos pouco tempo para preparar o jogo, portanto já mudámos o chip. Vi o plantel muito bem, fizeram a festa que tinham a fazer na viagem até cá. Descansaram, tivemos dois treinos de recuperação em que metemos um aspecto tático, porque vamos defrontar uma equipa muito difícil, que apesar do lugar que ocupa na tabela tem um grande treinador, campeão várias vezes. E uma equipa recheada de bons valores, que já fizeram bons jogos contra equipas grandes. Tenho a certeza que vamos estar preparados”.

Fragilidades e a estrelinha

“Obviamente temos falhas em certos momentos do jogo, mas temos conseguido vencer. Eu não me lembro de um jogo nesta época em que o adversário tenha sido assim tão superior a nós, que criasse mais oportunidades. É um misto de tudo: quando jogámos mal contra o B SAD conseguimos ganhar, aí tivemos a tal estrelinha, agora o resto é muito trabalho da equipa, qualidade dos jogadores. Eu próprio chamo a atenção para a estrelinha mas tenho noção do trabalho que eles têm vindo a fazer. Os resultados não escondem aquilo que por vezes acontece de mal no jogo. Quando ganhámos 2-0 ao Sp. Braga para o campeonato eu estive aqui a dizer que não estava tudo bem, com o Vitória o mesmo. Venho a alertar disso, mas temos de realçar o que o Sporting tem vindo a fazer e são muitos jogos para se falar só em estrelinha. Há um misto de competência, de sorte nos momentos certos, qualidade do trabalho da equipa e espírito de equipa”.

Carvalhal e possível castigo

“Não foi nada de mais, tudo o que é no campo fica no campo. Não espero nenhum castigo, apesar de já ter sido expulso. Entendo e acho que o mister Carvalhal entende o mesmo, que a nossa expulsão foi um erro e por isso não espero nenhum castigo mais pesado. É um assunto que já passou, já passou a Taça da Liga. Os castigos vão sair, estamos preparados para todos os cenários, não é por causa disso que o Sporting não vai jogar bem e aquilo que nos temos de focar é no campo. A única preocupação que eu tenho medo é que equipa técnica não tenha tido tempo de passar para o grupo a dificuldade deste jogo com o Boavista, da experiência do treinador, que teve uma semana longa para preparar o jogo”.

Trocou amor pelo Benfica pelo Sporting?

“Estou muito satisfeito a trabalhar no Sporting, gosto muito do meu staff, os meus filhos estão bem, a minha mulher está bem. Toda a gente está bem. Quando nos sentimos tão bem a trabalhar num sítio só queremos continuar e quando estamos com bons resultados… se calhar amanhã já estou com uma mentalidade diferente, posso estar chateado por um mau resultado. Mas quando vemos que está a ser algo construído, que toda a gente está feliz, eu estou bem e quero continuar e foi isso que eu disse à Sport TV”.

Amarelados

“Não, não vou dar nenhuma informação a jogadores com amarelos porque este é o jogo mais importante. E porque o fiz com o Palhinha - assumo isso aqui - contra o Belenenses e foi um erro. Máximo respeito por todos os adversários e temos mesmo de ganhar este jogo. Obviamente que não vou dar informação até porque temos o Cris, o Inácio, jogadores preparados para jogar”.

A sua carreira (não) dava um filme

“Não há matéria para fazer um filme ou um livro, a meu ver [risos]. Eu preparei-me ao máximo, mas não acredito que qualquer treinador que tenha dado passos rápidos que não sinta algum nervosismo. Os desafios foram aliciantes mas difíceis. Eu faço o máximo para estar preparado e sei que há coisas que não controlo. Sei que isto muda de um momento para o outros, os resultados não serão sempre positivos”.

Importância da Taça da Liga

“Metade do plantel não tinha um título e essa estreia é sempre importante. Penso que terá um impacto importante no grupo e em cada um deles”.

Ausências no Boavista

“Não jogam os dois centrais, poderá recuar o Javi Garcia, que no Betis jogava muitas vezes como central do meio. Um jogador com muita experiência, habituado a jogar contra grandes avançados. E poderá jogar o Rami, que é campeão do Mundo. Não podemos ver por aí, poderão ter menos jogo mas não será por aí. O que fizemos foi olhar para o Boavista como um todo, no seu 4-3-3, o mister Jesualdo é talvez a pessoa mais experiente no 4-3-3, com ideias muito boas, muito rápidos no contra ataque, três médios de grande qualidade, laterais muito ofensivos. Não terão a responsabilidade que tiveram em outros jogos e são talentosos. Temos de estar preparados para isso. Esta semana jogamos com o Boavista e com o Benfica e se perdermos podemos perder a liderança”.