Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Rúben Amorim: "A segurar vantagens, costumamos fugir para zonas onde nos sentimos confortáveis. Não é a nossa ideia, queremos crescer"

Na antevisão ao jogo com o Moreirense, na segunda-feira (21h, Sport TV1), o treinador do Sporting elaborou sobre a forma como, em muitos jogos, a equipa se resguarda a gerir vantagens no marcador, explicando que tal também se deve ao conforto que os jogadores sentem em explorar a profundidade

Tribuna Expresso

José Lorvão/Sporting

Partilhar

O jogo que aí vem

"O foco é o Moreirense. A tranquilidade que têm permite-lhes encarar estes jogos de outra forma, sem a pressão dos pontos. É difícil ganhar em casa do Moreirense, mas também era em casa do Tondela, que vinha de cinco vitórias consecutivas, e conseguimos. No último jogo já mostrámos uma forma diferente e queremos continuar a melhorar a equipa."

As duas semanas de paragem para as seleções

"Foram duas semanas boas para seguirmos a linha do que temos vindo a fazer, que é ver miúdos. Perdemos muitos jogadores para as seleções e desfocaram um bocadinho do que é a nossa ideia e, apesar do excelente rendimento, é sempre importante voltarem e perceberem o momento em que está o Sporting, os nossos objetivos.

É uma dinâmica completamente diferente, libertaram-se um bocadinho da pressão do que é jogar num clube grande. O importante foi relembrar os jogadores disso e das nossas dinâmicas enquanto equipa. Juntar o plantel todo. Estão todos à disposição e o que têm de fazer é voltar a ganhar."

A pressão está a aumentar?

"A pressão é sempre a mesma. Já tivemos fases em que estávamos mais pressionados, como no início da época. Tínhamos mais dúvidas, como tenho vindo a dizer. Agora somos uma equipa mais experiente, já nos conhecemos bem. Sabemos que a pressão aumenta sempre um pouco para o fim do campeonato, é normal, faz parte de jogar numa equipa grande, mas estamos preparados".

Como a equipa gere vantagens no marcador

"Costumamos fugir um bocadinho para aquelas zonas onde nos sentimos muito confortáveis. Não queremos isso, não é essa a nossa ideia, mas, realmente, sentimo-nos muito confortáveis a segurar vantagens e depois queremos explorar também a profundidade.

Mas isso vem com o tempo de trabalho e as características da equipa e, nesse aspeto, realmente os adversários têm poucas situações de perigo numa grande quantidade de jogos. Queremos crescer, faz parte da juventude da equipa, sentimo-nos confortáveis e talvez por isso aconteça, aqui e ali. Não é falta de intensidade, é uma forma de estar".

O badalado interesse em Nuno Mendes

"O Nuno Mendes não está preparado para sair este ano, nem no próximo. Talvez daqui a cinco anos [ri-se]. Queremos ficar com os melhores, mas o mercado tem leis. Sabemos que temos de vender, mas a ideia não passa por aí. Ele tem uma cláusula alta, está feliz aqui e por isso não há preocupação. Estamos tranquilos em relação a isso".