Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Sporting

Rúben Amorim, o homem que fez 10 milhões de euros parecerem trocos esquecidos num bolso

Há um ano e dois meses, Rúben Amorim perguntou-nos: "E se corre bem?". Não só correu bem como saiu melhor que a encomenda. Dezanove anos depois, o treinador de 36 anos, que apenas há três sabe o que são os bancos, levou o Sporting a um improvável título, ao dinheiro da Champions e, mais importante ainda, a uma espécie de catarse coletiva de um clube e de adeptos que já se tinham esquecido do que é ganhar

Lídia Paralta Gomes

Tiago Pereira Santos

Partilhar

Até 2021 pensávamos inocentemente que a máxima “o barato sai caro e o caro pode sair barato” aplicava-se somente a roupa, calçado e pneus, mas afinal também se pode aplicar a treinadores de futebol. Há um ano e dois meses, Frederico Varandas apresentava Rúben Amorim, este último com uma etiqueta onde se podia ler “10 milhões de euros” agarrada a um impecável fato cinzento. Falou-se em risco, em loucura, escândalo, em tiro no pé, em all in. Rúben, na sua habitual parcimónia, sem gravata a acompanhar o fato, como que a equilibrar o momento solene com a fresca informalidade que tem demonstrado desde aí, perguntou-nos apenas:

“E se corre bem?”

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler