Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Sporting

“No título de 2001/02 o fator treinador não foi tão importante, tínhamos jogadores que sabiam o que tinham de fazer”

Sá Pinto, atual treinador do Gazisehir Gaziantep, da Turquia, e apelidado na família sportinguista de "Ricardo Coração de Leão", compara o mérito deste Sporting de 2020/21 com aquele em que foi campeão em 2001/02

Alexandra Simões de Abreu

Gabriele Maltinti/Getty

Partilhar

O que achou da época que o Sporting fez e de quem é o mérito deste título?
Esta época é irrepreensível. É mesmo muito boa, fantástica e acho que os principais responsáveis são o presidente, o diretor desportivo, o treinador e os jogadores, sem dúvida.

É um justo vencedor?
Sem dúvida. Pela regularidade, ainda não perdeu, foi a equipa mais consistente.

O que contribuiu mais para este sucesso?
Houve factores que num determinado momento não foram favoráveis mas que se tornaram numa oportunidade. Nomeadamente, a eliminação prematura quer da Liga Europa quer da Taça de Portugal, que permitiram ao Sporting ter uma disponibilidade física muito importante para aquilo que era a liga portuguesa. Jogar só uma competição durante alguns meses, com o nível de exigência que existe hoje em dia é um fator favorável em relação a outros adversários diretos, nomeadamente o FC Porto, que teve sempre uma grande exigência em termos de calendário, com a Liga dos Campeões e tudo o resto. Portanto acho que foi um fator favorável.

E jogar sem adeptos, também ajudou ou não?
Sim. Não ter a pressão do público ajudou. Eu sei o que é viver a alegria e as tristezas no mundo do Sporting Clube de Portugal. Quando se ganha é fantástico e o apoio da nossa massa associativa é extraordinário, mas também quando não se ganha é exigente e difícil. Para uma equipa como a que o Sporting tem, onde jovens jogadores foram lançados, não tendo a pressão do público que às vezes é tremenda, é difícil, também poderá ter ajudado; e o não ter que assumir a conquista do título no início da temporada, apesar de haver a vontade de ir à Liga dos Campeões pelo menos. A não presença do público juntando às outras situações que já enumerei, foi favorável. Mas isso não retira o mérito do Sporting ter sido a equipa mais regular.

Foi campeão pelo Sporting há 19 anos, que diferenças e semelhanças encontra entre as duas épocas e as duas equipas?
Cada época tem a sua história. Há muitas variáveis que fazem com que a equipa ganhe ou não. Na altura tínhamos uma equipa muito madura, de jogadores muito experientes. Acho sinceramente, que tínhamos maturidade suficiente para percebermos o jogo, para perceber o que é que era necessário em cada jogo, durante o próprio jogo. Acho que o fator treinador não foi tão importante. O apoio do público sim. Enfim, porque até tínhamos ideias completamente diferentes. Mas fomos uma equipa com uma cultura de organização, de estratégia, de qualidade e futebol técnico e o treinador que tivemos quando fomos campeões, era muito físico. Acho que foi a maturidade dos jogadores que fez com que fossemos campeões nacionais em 2001/02. Nesta situação, acho que há mérito das pessoas que enumerei. Do meu ponto de vista é a grande diferença.