Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Sporting

Rúben Amorim diz que vai continuar na próxima época "aconteça o que acontecer, venha a proposta que vier"

Na última conferência de imprensa de antevisão da temporada, o treinador do Sporting admitiu que a eliminação da Liga Europa deu mais tempo à equipa para treinar e crescer e diz que tem um acordo com Varandas e Hugo Viana para continuar. Sublinhou ainda que vai tirar o nível 4 de treinador a meio da pré-época dos leões: "Espero passar e que não haja nenhum problema durante o curso"

Tribuna Expresso

Getty Images

Partilhar

Balanço da temporada

“É um misto. Na Europa não correu como planeámos. Foi difícil e tivemos de fazer um planeamento para jogar de semana a semana. Se formos justos na avaliação, eu penso que a equipa precisava disso, a equipa cresceu mais rápido do que eu pensava, mesmo os miúdos mais novos. Rodámos toda a gente, tivemos mais tempo para treinar, mais que os nossos rivais e eu acho que nós precisávamos de mais tempo. Foi muito bom. Na Taça de Portugal poderíamos ter ido mais longe, claramente. Ganhámos Taça da Liga e campeonato, que foi muito bom, ninguém esperava. Não terminámos a época sem derrotas, mas fomos campeões sem derrotas. Foi um ano muito bom. Os jogadores cresceram, valorizaram. Na próxima época vamos sofrer muito, mas temos mais treino já. Não vai haver muitas mudanças no plantel - espero eu, não sabemos do mercado. Vamos para um patamar diferente e não vamos apanhar toda a gente distraída. Podia ter sido melhor em alguns momentos, mas acabou por correr bem porque precisávamos do treino, de consolidar ideias”

Marítimo

“Queremos acabar com uma vitória, o Marítimo também já está tranquilo. Um jogo bastante tarde… Vamos continuar na nossa ideia, alguns jogadores que jogaram menos vão jogar aqui, porque foi essa logo a ideia que tivemos logo a seguir ao título. Vamos ver coisas, pôr jogadores que jogaram menos mas que nos deram muito. Se trabalharam muito mesmo sem jogar e ajudaram o plantel a elevar o nível, desta vez temos de ser nós a dar esse tempo aos jogadores e eles têm de participar”

Derrota com o Marítimo na Taça

“Foi um momento em que ficámos aquém. Claro que houve o 4-1 do LASK, em casa, mas acabou por ser bom. Tivemos tempo para trabalhar. Foi uma derrota muito dura porque já havia alguma desconfiança, perdemos 4-1, mas olhando para trás penso que valorizámos o tempo, tendo saído da Liga Europa. Agora na Taça de Portugal acho que falhámos, podíamos ter ganho. Vínhamos daquela vitória muito difícil com o Nacional, estávamos em forma e depois não conseguimos ganhar o Marítimo. Depois empatámos com o Rio Ave. Sim, acho que foi o momento mais baixo da época”

Mercado

“Da mesma forma que preparámos esta época atempadamente também já estamos a pensar na outra. Há jogadores que não podem do Sporting, mas não controlamos. Agora, está claro para mim que preferíamos não vender nem comprar, isso é uma regra que temos, sabendo que vamos para um patamar diferente, para a melhor competição do Mundo e vamos como campeões, o que aumenta a responsabilidade. Mas temos de ver o momento em que o Sporting está: não pode haver uma alteração à nossa ideia que é apostar na formação. O TT vai ter de continuar a crescer, o Dani, o Matheus, esses são jogadores que têm de continuar a crescer. Sem saídas dificilmente vão chegar jogadores. Aqui e ali há algumas posições que sabemos que temos de melhorar mas se não saírem não vêm mais jogadores”

Pondera sair?

“O futebol é o momento. Talvez fosse a altura ideal para um treinador sair, depois de conquistado um objetivo, mas eu não vou sair. Aconteça o que acontecer, venha a proposta que vier. Tenho contrato, sou feliz aqui. Tenho uma equipa que gosto. Sei do desafio, do risco, que dois jogos mudam tudo, mas é o acordo que tenho com o presidente e com o [Hugo] Viana e quando eu acordo as coisas… tomara eu ter a certeza que os meus jogadores ficam como eu fico”

João Mário

“O João Mário é um jogador que nos deu muita confiança e notou-se muito no último jogo, a forma como entrou, o à-vontade que tem. Deu-nos muita experiência. Agora, o João Mário não é jogador do Sporting. Entram muitas coisas, ele é jogador do Inter e toda a gente sabe os valores que ele recebe. Estou aqui a adiantar-me a coisas que o Viana é que tem de tratar, mas é só para dizer que ele é diferente do Palhinha, do Matheus e do Dani, é jogador do Inter e não do Sporting. É um caso diferente, temos de ver o que se pode fazer. É público [que quer ficar]. O Sporting já disse, o João já disse, agora entram coisas que não controlamos. Sem a saída do João, não entraria mais nenhum médio”

Hora do jogo

“Para mim não faz muito sentido jogar às 21h45 quando já não há nada a ganhar. Não havendo adeptos é diferente. Nós jogámos muitas vezes à noite, às vezes a nosso pedido, portanto há que aceitar, não falar disso, é a hora que há.

Estreias

“À partida o André Paulo vai estrear-se e o Tomás [Silva] da equipa B também. É um jogador que poderá não continuar connosco e como é um jogador que fez a formação toda no Sporting, desde os 9 anos. Ajudou-nos todo o ano, a preparar os jogos, com caracter e é uma forma de o premiar como exemplo do que deve ser um jogador do Sporting. Por isso o Tomás amanhã deverá ser campeão nacional”

Pedro Gonçalves

“Se pudermos ajudar o Pedro muito bem, mas o objetivo é ganhar o jogo, dar uma boa imagem, mas se pudermos ajudar o Pote a ser o melhor marcador vamos fazê-lo. Agora não vamos só olhar para o Pote e passar a bola para ele marcar golo. Damos-lhe os penáltis, talvez um livre mais perto que ele pode arriscar. O que ele tem de fazer é defender, atacar, preencher os espaços que tem de preencher. Essa é a função dele. E se puder marcar é um prémio que ele merece porque fez uma época fantástica, veio do Famalicão e adaptou-se a um grande clube. Mais do que os golos eu estou satisfeito como ele ajudou a equipa a defender, e quando teve de jogar a médio jogou a médio, a capacidade dele de se adaptar e ajudar a equipa é mais importante que ser o melhor marcador”

Formação

“Eu mudaria apenas o acesso, a não limitação do trabalho. Acho que é isso que todos os treinadores estão a defender. O mister [Luís] Freire subiu de divisão, não lhe deram nada, e tinha de ser limitado no crescimento da carreira chegando lá por mérito… eu não quero mudar nada, desisti disso há muito tempo. Fui à federação várias vezes, era jogador, e eles sabem. Falei muitas vezes com o sindicato de jogadores sobre este assunto. Eu quando era jogador já tentei entender isto. Diziam que devíamos tirar os cursos enquanto jogadores mas nós não conseguimos porque as aulas eram ao sábado e às quartas. Eu, jogando no Benfica, tinha competições europeias e jogos ao fim de semana, como é que eu tirava o curso, só havendo direito a 10% de faltas? Eu tenho de tirar o nível 4, na pré-época vou estar a tirar o nível 4, numa equipa que vai disputar Supertaça, preparar Liga dos Campeões e o início do campeonato, com a pressão que tem. Eu vou fazê-lo e espero passar e que não haja nenhum problema durante o curso”