Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Sporting

Sporting aplaude absolvição de Rúben Amorim: "Foram demasiados meses de pressão e sob a ameaça de um processo disciplinar injusto"

Os leões afirmam que vão recorrer da decisão de interditar o Estádio José Alvalade por um jogo

LUSA

ANTÓNIO COTRIM

Partilhar

O Sporting assumiu-se esta terça-feira agradado com a absolvição de Rúben Amorim, por parte do Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), relativamente às habilitações do treinador, e anunciou o recurso pela interdição do estádio.

"A Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD, manifesta o seu agrado pela absolvição do treinador Rúben Amorim das desmerecidas acusações de que foi alvo. Foram demasiados meses de pressão e sob a ameaça de um processo disciplinar injusto que agora chega ao fim", lê-se no comunicado dos campeões nacionais.

O emblema leonino assumiu o "espanto pela procedência (ainda que parcial)" do mesmo caso, que classifica de "inédito", lamentando que só tenha sido concluído após a edição 2020/21 da I Liga.

"A Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD, mais garante que tudo fará na defesa intransigente dos seus e, como tal, recorrerá da decisão de interditar o Estádio José Alvalade por um jogo", acrescentou o clube.

No mesmo comunicado, os leões congratulam-se "com o arquivamento do processo no que diz respeito às acusações de falsas declarações e fraude e de fraude na celebração dos contratos, que sempre considerou não terem existido", e da "acusação de ter preenchido o seu quadro técnico sem as habilitações mínimas".

Relativamente ao castigo imposto pelo CD da FPF, de interdição do Estádio José Alvalade, em Lisboa, por um jogo e uma multa de 9.563 euros, o Sporting informou que, "no momento próprio, interporá recurso desta decisão para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD)".

"A terminar, a Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD manifesta o seu contínuo apoio ao treinador Rúben Amorim, que trabalhou parte substancial da época desportiva transata sob a ameaça de um processo disciplinar injusto, como a decisão ontem [segunda-feira] conhecida cabalmente comprova. A união de todos em torno dos objetivos da equipa e a convicção de todos os Sportinguistas na inocência de Rúben Amorim foram, também, decisivos para o desfecho da época", rematou o Sporting.

Os leões foram punidos de acordo com o artigo 82.º do Regulamento de Competições da Liga de clubes, que define a habilitação dos treinadores, e pela prática de infração disciplinar no artigo 118.º do Regulamento Disciplinar (Inobservância qualificada de outros deveres).

Este processo iniciou-se com uma participação apresentada pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF), em março de 2020, que, segundo o clube, resultou na "acusação contra a Sporting SAD e o seu treinador Rúben Amorim, alegando existir fraude na inscrição de Rúben Amorim como treinador, e pretendendo ver o mesmo condenado a uma sanção de um a seis anos de suspensão de atividade".