Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Sporting

O aviso de Rúben Amorim para "mudar o chip" no regresso à Liga: "Num clube grande, temos de estar sempre de olho aberto"

Na conferência de imprensa de antevisão do duelo contra o Moreirense (sábado, 23, 20h:30m, Sport TV 1), Rúben Amorim alertou para os perigos do Moreirense, que inaugura uma série de oito encontros nos quais os campeões nacionais jogarão sete vezes em casa. O técnico considerou que a equipa "não depende" de Pote e não quis comentar a possibilidade de Feddal renunciar à CAN para continuar a competir no Sporting ou as notícias em torno da contratação do jovem ganês Abdul Fatawu Issahaku pelos "leões"

Tribuna Expresso

OZAN KOSE

Partilhar

Regresso ao campeonato depois de duas goleadas, uma contra Belenenses e outra contra Besiktas
"Devemos ter a mesma atitude que tivemos quando perdemos. Quando tivemos derrotas pesada mantivemos a mesma crença naquilo que fazemos e na forma como trabalhamos. É fazer o mesmo. Às vezes, mais perigoso do que perder e voltar para o campeonato, é ganhar e voltar para o campeonato. Nós sabemos disso e alertámos os jogadores, que estão muito confiantes. Estamos a recuperar vários jogadores, mas temos muita coisa a melhorar. Eles estão todos bem preparados e temos um jogo para ganhar"

Nos próximos oito jogos, Sporting só joga uma vez fora. É uma fase importante?
"Todas as partes da época são importantes. No fim do campeonato, não saberemos que jogo é que vai fazer falta. Apesar dos jogos seguidos, não temos viagens e isso ajuda e teremos o estádio com muita gente. São só factores positivos nesta fase, sabendo que vamos definir algumas competições, essa é a verdade. Temos um jogo na Taça da Liga que temos de vencer, temos o campeonato, onde perdendo pontos tudo se torna mais difícil, temos também Taça de Portugal e Liga dos Campeões. É olhar para o lado positivo de não termos viagens e termos o nosso público, mas num clube grande temos de estar sempre de olho aberto. Todas as fases são importantes, mas esta, na qual jogamos várias competições, é realmente importante"

Quais são os pontos mais fortes do Moreirense?
"É uma equipa bem trabalhada, que não tem responsabilidade neste jogo. Vem jogando contra equipas fortes do campeonato. Já jogou em 4-3-3, mas eu penso que pode entrar em 3-4-3 e igualar o nossos sistema. Pode variar na frente se jogar o Yan, o Rafael e o Pires, mas também pode entrar o Walterson, que também pode ser lateral. Não sabemos como se irá apresentar, mas o nosso foco será muito na nossa equipa. É uma equipa bem trabalhada, com bons jogadores, que são rápidos na transição, e que é perigosa porque todos os pontos que levarem de Alvalade serão sempre um bónus. Temos de estar preparados para isso, sabendo que vimos de um jogo da Liga dos Campeões e temos de mudar o chip, como todos os treinadores dizem. Temos de estar preparados para a força do Moreirense na bola parada, mas nós estamos preparados"

Equipa melhorou produção ofensiva com Pote. Sporting está muito dependente de um só jogador?
"Não, porque temos vindo a ganhar. Não ganhámos os dois primeiros jogos da Liga dos Campeões, que foram jogos difíceis, mas um jogador não faz uma equipa e a mudança deste encontro para os outros não foi só o Pote. Mas o Pote é um jogador muito importante, tem um passado como médio, mas o ano passado fez de avançado. Consegue ser rápido, bom com a bola e dá-nos várias soluções. Foi importante nas bolas paradas, porque bateu bem os cantos, é um jogador de muita qualidade mas não penso que o Sporting esteja dependente do Pote. O que aconteceu neste jogo foi que toda a equipa elevou o nível. O próprio Palhinha fez um jogo melhor e quando todos estão um pouco melhor a equipa melhora"

Nos últimos três jogos, jogaram três jogadores diferentes na esquerda (Nuno Santos, Vinagre e Matheus). É a zona que lhe dá mais dores de cabeça?
"O Vinagre já ganhou confiança, fez um excelente jogo contra o Belenenses. O que nós vamos fazer é ir variando consoante o adversário e o jogo. O próximo encontro é sempre o mais importante, mas nós temos de ir fazendo uma gestão de acordo com as características do adversário e do que queremos para o jogo. Naquela posição, jogava o Nuno Mendes, que era muito completo: era muito ofensivo, mas também era defensivo, bom pelo ar, rápido e forte. Nós, agora, dividimos um pouco o que era o Nuno Mendes por vários jogadores. O Vinagre está-se a construir, mas está bem, começou o campeonato, a fase de menos confiança já passou, o Matheus Reis sempre foi lateral esquerdo e faz de central ou lateral consoante o que queremos para o jogo e o Nuno Santos é quando queremos, claramente, um extremo lá. Hoje em dia, há muitas equipas a jogar com três centrais que colocam lá um lateral e é mais fácil para um jogador que não fez carreira como defesa esquerdo conseguir perceber o posicionamento"

Foi noticiado que Feddal poderia abdicar de chamada à CAN com Marrocos, em janeiro, em prol do Sporting.
"Janeiro está muito longe, o primeiro objetivo é estar cá em janeiro. Sabemos que o futebol muda de um momento para o outro, portanto o primeiro objetivo é esse. Não falei sobre a seleção, não costumo falar sobre isso com os jogadores. Se ele tiver de ir à seleção, vai à seleção. Nós temos várias opções e jogadores na equipa B caso haja algum problema. Essa é a nossa ideia. Se o Feddal tiver de ir à seleção representar o seu país, vai representar e teremos vários jogadores, como o Inácio, o Matheus Reis, o Marsà, o Esgaio pode jogar em qualquer lado, o Neto pode jogar ali e, portanto, estamos salvaguardados e não pensamos nisso"

Se Rúben pudesse escolher, preferia que Moreirense jogasse em 4-3-3 ou 3-4-3? O que é mais difícil anular?
"Depende do que acontecer no jogo e depende muito da inspiração dos jogadores. Os nossos jogadores já sabem jogar contra equipas em 4-3-3, em 3-4-3, em 4-4-2. Eles próprios, sem intervenção do treinador, já conseguem avaliar e, por vezes, na ficha de jogo tentamos perceber que sistema é que o adversário vai apresentar, eles estão muito habituados. Há equipas que variam o sistema para jogar contra vários adversários, aquilo que nós fazemos é trabalhar o nossos sistema para jogar contra vários sistemas. A equipa tem-se preparado bem e nós vamos crescendo com isso e fazendo nuances. Eu não escolheria nenhuma, os jogadores estão preparados para um 4-3-3 ou 3-4-3 e o que importa é a inspiração deles e a forma séria como abordam o encontro"

Empresário de Abdul Issahaku, ganês de 17 anos, garantiu que o jovem assinou com o Sporting. É verdade?
"Em relação ao mercado, eu não faço apresentações de jogadores. Ainda falta muito para o mercado, o objetivo é ganhar ao Moreirense. Quem trata do mercado é o Viana e a direção"