Tribuna Expresso

Perfil

Surf

Brasileiro Italo Ferreira conquista título mundial de surf pela primeira vez

Brasileiro de 25 anos venceu o Billabong Pipe Masters, no Havai, derrotando na final o seu compatriota Gabriel Medina, que disputava também o título

Lusa

Matt King/Getty

Partilhar

O brasileiro Italo Ferreira sagrou-se na quinta-feira pela primeira vez campeão do mundo de surf, ao vencer o Billabong Pipe Masters, derrotando na final o seu compatriota Gabriel Medina, que disputava a revalidação do cetro.

Italo Ferreira, de 25 anos, chegou à 11.ª e última etapa na liderança do circuito mundial, com 1.065 pontos de vantagem sobre Gabriel Medina, campeão do mundo em 2014 e 2018, numa disputa em que ainda entrava o norte-americano Kolohe Andino.

Os dois brasileiros chegaram à final do emblemático campeonato havaiano, eliminando Jadson André, Peterson Crisanto, Yago Dora e Kelly Slater, no caso de Italo Ferreira, enquanto Gabriel Medina superou Imaikalani deVault, Caio Ibelli – num ‘heat’ polémico, em que o detentor do título cometeu propositadamente uma interferência, John John Florence e Griffin Colapinto.

Na última bateria do ano, que decidiu o campeonato, Italo Ferreira, vencedor dos campeonatos disputados na Gold Coast e em Peniche, impôs-se a Gabriel Medina, campeão em Jeffreys Bay e na piscina de ondas de Lemoore.

Italo Ferreira conquistou 15,56 pontos (7,83 e 7,73), contra 12,94 (7,77 e 5,17) de Medina, e tornou-se no terceiro brasileiro a sagrar-se campeão do mundo, depois do rival de quinta-feira e de Adriano de Souza, em 2015.

“Este é meu sonho. Dediquei toda minha vida para isso. Não consigo acreditar. Gabriel é um grande competidor, está de parabéns, mas esse é o meu momento”, afirmou o novo campeão do mundo, natural do Rio Grande do Norte.

Com este triunfo, Italo Ferreira somou 59.740 pontos no circuito, mais 3.265 do que o seu antecessor.

O português Frederico Morais, que assegurou o regresso à elite mundial do surf ao vencer o circuito de qualificação, esteve em Pipeline, mais uma vez como substituto, tendo terminado entre os 33.ºs classificados, com a eliminação na segunda ronda frente aos havaianos John John Florence e Sebastian Zietz.

  • Gabriel Medina, propositadamente a fazer uma interferência para se manter na luta pelo título: "Joguei o jogo, sabia o que estava a fazer"

    Surf

    No Pipe Masters, última etapa do circuito mundial de surf, no Havai, o brasileiro, que está a discutir o título mundial com Ítalo Ferreira, admitiu ter cometido uma interferência na última onda do heat contra Caio Ibelli, porque sabia que, mesmo assim, teria nota suficiente para rumar aos quartos-de-final. "Comecei a ouvir o padrasto na praia 'agora podes queimá-lo", disse o derrotado, que já fora alvo de uma interferência de Medina em outubro, na etapa de Peniche

  • Tudo é possível, Ítalo

    Surf

    Roubaram-lhe o passaporte nos EUA, adiou a partida para o Japão, o voo atrasou por causa de um furacão, aterrou em Tóquio, deram-lhe o visto, voou para Miyazaki, deixou as malas no aeroporto e foi direto para a praia. Faltavam nove minutos para a bateria acabar, mas, com calções de rua e uma prancha emprestada, Ítalo Ferreira conseguiu ganhar o heat e sobreviver uma aventura de loucos