Tribuna Expresso

Perfil

Surf

Liga portuguesa vai ser a primeira prova de surf do mundo a ser retomada

Já há datas confirmadas para a Figueira da Foz e Ericeira: 19 de junho e 3 de julho, respetivamente

LUSA

Partilhar

A Liga portuguesa de surf começa a 19 de junho, após um adiamento de quase três meses devido à pandemia, sendo a primeira prova da modalidade no mundo a ser retomada, anunciou hoje a Associação Nacional de Surfistas (ANS).

"A praia do Cabedelo, na Figueira da Foz, irá receber os melhores surfistas nacionais para o Allianz Figueira Pro, naquela que será a primeira prova de surf a ser retomada em todo o mundo depois do surgimento da pandemia da covid-19", destacou em comunicado a entidade, que divulgou o novo calendário do circuito português.

A Liga Meo Surf mantém as cinco etapas, estando duas já com as datas confirmadas, na Figueira da Foz (19 a 21 de junho) e na Ericeira (3 a 5 de julho), na Praia de Ribeira D'Ilhas, e encontrando-se ainda em programação mais uma etapa no período de arranque do verão.

"Depois da realização das três primeiras etapas, a Liga Meo Surf vai ter uma pausa, regressando após o verão para a realização das duas últimas etapas, que serão determinantes para as contas do título nacional, o Renault Porto Pro e o Bom Petisco Cascais Pro, que aguardam informações do calendário internacional para a definição final da data", adiantou a ANS.

Segundo a entidade, o mais recente diploma sobre o estado de calamidade em Portugal "deu permissão ao regresso de provas individuais e ao ar livre, onde se inclui a Liga Meo Surf", pelo que a ANS "uniu esforços com todos os parceiros da Liga Meo Surf para consumar o regresso das provas ao mar dentro de 10 dias, seguindo todas as recomendações da Direção-Geral da Saúde".

Francisco Rodrigues, presidente da ANS, realçou o esforço feito para a "obtenção do licenciamento e das necessárias medidas de segurança" para o surf profissional voltar ao mar", sublinhando que a primeira prova do ano vai ser um "evento 100% focado no espetáculo de surf na água, sem público", e que pode ser acompanhado através de transmissão televisiva integral na Sport TV, bem como nas restantes plataformas da Liga Meo Surf e da Meo.

E acrescentou: "Temos os melhores surfistas portugueses a precisar de retomar a sua atividade profissional, regressar ao ritmo competitivo e voltar a dar retorno aos seus patrocinadores. Permitam-me agradecer o empenho da Federação Portuguesa de Surf, do Município da Figueira da Foz e da Capitania também da Figueira da Foz. Todos eles disseram 'presente' para viabilizar a prova num tão curto espaço de tempo e em benefício do Surf em Portugal".

Em fevereiro, antes de ter sido decretada a pandemia da covid-19, a organização tinha anunciado que o circuito português ia começar na Ericeira, a 27 de março, seguindo-se o Porto (24 e 26 de abril), a Figueira da Foz (29 a 31 de maio), o Algarve (12 a 14 de junho) e Cascais (1 a 3 de outubro).

O surf está suspenso até julho. Em 2021 haverá um novo formato para decidir os campeões mundiais

Não haverá qualquer prova de surf a realizar-se no mundo, pelo menos, até ao fim de junho. A World Surf League anunciou, esta terça-feira, que decidiu suspender ou cancelar todos os eventos que estavam previstos, o que inclui o Oi Rio Pro, etapa brasileira do circuito. E, inspirando-se no título mundial de Ítalo Ferreira que foi decidido no último <em>heat </em>do ano, a WSL também decidiu criar uma nova forma de definir quem serão os campeões do mundo
  • O surf está suspenso até julho. Em 2021 haverá um novo formato para decidir os campeões mundiais

    Surf

    Não haverá qualquer prova de surf a realizar-se no mundo, pelo menos, até ao fim de junho. A World Surf League anunciou, esta terça-feira, que decidiu suspender ou cancelar todos os eventos que estavam previstos, o que inclui o Oi Rio Pro, etapa brasileira do circuito. E, inspirando-se no título mundial de Ítalo Ferreira que foi decidido no último heat do ano, a WSL também decidiu criar uma nova forma de definir quem serão os campeões do mundo