Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Surf

Já não há interdição para surfar as ondas gigantes na Nazaré: mas só de segunda a sexta-feira e até às 13h

A Direção-Geral de Saúde revogou a interdição que impusera no início de novembro e permitiu o regresso dos surfistas ao mar da Praia do Norte, na Nazaré, embora com restrições: só poderão enfrentar as ondas nos dias úteis e entre o nascer do sol e as 13h

Diogo Pombo

SOPA Images

Partilhar

A culpa original traça-se às gigantescas ondas que a natureza formou, uma vez mais, na Praia do Norte, trilhando-se a culpa seguinte às pessoas, às milhares que a 28 e a 29 de outubro se encavalitaram no promontório perto do farol de São Miguel Arcanjo, na Nazaré. Nesse par de dias houve multidão aglomerada para assistir aos surfistas que se atreveram a desafiar ondas com não menos que 10 metros, como já é costume, mas fizeram-no em tempos de pandemia que estão muito longe de serem costumeiros.

Desrespeitaram-se as regras de distanciamento social, tudo foi fotografado, filmado e difundido e, pouco depois, a Direção-Geral de Saúde (DGS) interditou a prática de surf de ondas gigantes na Nazaré. Pelo desrespeito de muitos ficariam a sofrer os muito poucos que se fariam ao mar caso outra ondulação enorme se dirigisse à Praia do Norte e essa interdição durou mais de um mês, até à última quinta-feira.

Foi nesse 10 de dezembro que José António Zeferino Henriques, capitão do Porto da Nazaré, assinou o edital que, entretanto, foi publicado no site da capitania, dando conta do levantamento da interdição da prática de "free surf e tow-in", embora com restrições: apenas serão permitidas nos dias úteis, a partir do nascer do Sol e até às 13h. A decisão, informa o documento, surge "na sequência da determinação do Delegado de Saúde do Agrupamento de Centros de Saúde do Oeste Norte".

Decorre, de momento, o período de espera (2 de novembro até 31 de março de 2021) para o Nazaré Challenge da World Surf League (WSL), prova do circuito mundial de ondas grandes que, por ser tão dependente de condições de ondulação tão especiais e por isso raras, tem quatro meses de duração.

Ainda em novembro, a Câmara Municipal da Nazaré revelou ter enviado à DGS um plano de contingência para os dias de ondas grandes na Praia do Norte. Elaboração em parceria com "as forças de segurança e de socorro do concelho", o plano visava permitir a entrada a máximo de 2.500 pessoas, que seriam distribuídas pela zona do farol de S. Miguel Arcanjo, da encosta e do areal.

  • Nazaré: DGS interdita Praia do Norte ao surf de ondas gigantes para evitar multidões
    Surf

    A Direção-Geral de Saúde decidiu interditar a prática de surf de ondas grandes na praia do distrito de Leiria para evitar situações como a da semana passada, em que uma multidão de gente acorreu ao local para ver vários surfistas fazerem tow-in nos monstros de água da Nazaré. A interdição foi confirmada à Tribuna Expresso por José Zeferino Henriques, capitão do Porto da Nazaré