Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Serena e uma pergunta sobre Carlos Ramos: “Não sei quem é”

A norte-americana entrou a ganhar no US Open, com um arraso a Maria Sharapova por 6-1 e 6-1 na 1.ª ronda do torneio, e logo de seguida fez-se de desentendida quando convidada a comentar a decisão da organização do torneio de afastar o árbitro português dos seus encontros

Tribuna Expresso

TPN/Getty

Partilhar

Terá sido uma das maiores exibições de força de Serena Williams desde que voltou aos courts após ser mãe: em apenas 58 minutos, a norte-americana despachou Maria Sharapova na 1.ª ronda do US Open, naquele que era o encontro mais esperado da primeira jornada do último torneio do Grand Slam da temporada.

Os parciais de 6-1 e 6-1 mostram bem o domínio absoluto de Serena Williams não só no duelo de segunda-feira em Nova Iorque mas também no total de confrontos: Serena chegou às 20 vitórias sobre Sharapova, contra dois triunfos da russa, o último dos quais já há 15 anos.

Vice-campeã há um ano em Flushing Meadows, Serena entrou bem no US Open, no primeiro encontro desde aquela final de 2018, em que entrou em conflito com o árbitro português Carlos Ramos que, fruto da repercussão do caso, que motivou acusações de sexismo por parte de Serena, está impedido de arbitrar qualquer encontro das irmãs Williams no torneio.

E foi essa exatamente uma das perguntas colocadas à tenista na conferência de imprensa que se seguiu ao passeio frente a Sharapova. Convidada a comentar a decisão da organização do torneio em afastar Carlos Ramos dos seus encontros, a resposta de Serena Williams foi fleumática: “Carlos Ramos? Não sei quem é”.

Sabendo ou não quem é Carlos Ramos, Serena Williams entrou bem no US Open, onde procura o 24.º título em torneios do Grand Slam, ela que venceu o primeiro há precisamente 20 anos (!), na edição de 1999 do major norte-americano.