Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Ashleigh Barty e uma vitória que vale 4,4 milhões de euros, o maior prémio monetário da história do ténis

A tenista australiana conquistou as WTA Finals, Shenzhen, na China, ao bater a ucraniana Elina Svitolina por 6-4 e 6-3. Barty, que já tinha assegurado a meio da semana o número 1 mundial no final do ano, também embolsou o maior prize money da história do ténis, masculino ou feminino

Lusa e Tribuna Expresso

VCG/VCG via Getty Images

Partilhar

A tenista australiana Ashleigh Barty, número um do 'ranking' mundial, conquistou este domingo pela primeira vez as WTA Finals, ao derrotar a ucraniana Elina Svitolina, na final, em Shenzhen, na China.

Presente pela primeira vez no torneio de final de temporada que junta as oito melhores tenistas da hierarquia, Barty impôs-se a Svitolina, que tinha vencido em 2018 e que tinha chegado à final com quatro vitória em outros tantos encontros.

A australiana precisou de uma hora e 27 minutos para derrotar a oitava do 'ranking' mundial, por 6-4, 6-3, conseguindo o primeiro triunfo em seis encontros frente a Svitolina.

O triunfo em Shenzhen confirmou o melhor ano da carreira de Barty, de 23 anos, com a conquista de quatro dos sete títulos da carreira, destacando-se o triunfo em Roland Garros, segundo torneio do 'Grand Slam' da temporada. Mais: a caminhada no torneio final do ano valeu-lhe o maior cheque da história do ténis, masculino ou feminino, no valor de impressionantes 4,4 milhões de euros, valor que poderia até ser maior caso a australiana não tivesse perdido um encontro na fase inicial do torneio.

Além dos títulos, Barty, que chegou a retirar-se do ténis em 2014, entrou este ano para o 'top-10', ascendendo pela primeira vez ao topo da hierarquia no final de junho.

"Foi um ano incrível para mim. Antes de tudo, quero dar parabéns à Elina e à sua equipa. Sei que vamos ter muito mais batalhas no futuro. Acho que tenho a melhor equipa do mundo a trabalhar comigo, muito obrigado a eles", disse logo após o receber o troféu Billie Jean King.

No torneio de pares, a húngara Timea Babos e a francesa Kristina Mladenovic ergueram o troféu, depois de vencerem Hsieh Su-Wei, de Taiwan, e a checa Barbora Strycova, por 6-1, 6-2, em 56 minutos.