Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Quatro horas para chegar à vitória 100 em Melbourne ou o dia em Federer tremeu mas não caiu

Suíço esteve a apenas dois pontos de cair na 2.ª ronda do Open da Austrália, frente a um aguerrido John Millman, número 47 do ranking ATP. Foi só no super tie-break do 5.º set que Federer conseguiu assegurar o triunfo centenário em torneios do Grand Slam, com parciais de 4-6, 7-6(2), 6-4, 4-6 e 7-6(8)

Lídia Paralta Gomes

DAVID GRAY/Getty

Partilhar

Com um quadro teoricamente acessível, Roger Federer confessou no final do encontro da 1.ª ronda do Open da Austrália, em que bateu o sérvio Filip Krajinovic, que estava confiante em “chegar longe” no primeiro torneio do Grand Slam do ano. Ainda assim deixou o aviso: “O próximo encontro com o John Millman será um grande teste. Já perdi com ele num encontro à melhor de cinco sets e quase perdi contra ele em Brisbane”.

E o suíço tinha razão.

Foram precisas quatro horas, cinco sets e um super tie-break para Federer bater o australiano, n.º 47 do Mundo, e passar à 3.ª ronda do Open da Austrália, naquela que foi também a sua vitória número 100 em torneios do Grand Slam.

O jogador de 30 anos, natural precisamente de Brisbane e que eliminou Federer no US Open de 2018, surpreendeu logo no arranque, vencendo o 1.º set por 6-4. Federer responderia com um 7-6 no 2.º parcial e 6-4 no 3.º, altura em que tudo parecia encaminhado para o suíço. Mas Millman empataria tudo de novo com um 6-4 no 4.º set. No 5.º set, o jogador da casa quebrou o serviço de Federer, que conseguiu o contra-break, levando o jogo para o decisivo super tie-break, introduzido no último ano no Open da Austrália.

Numa batalha até aos 10, o helvético, n.º 3 do ranking mundial e seis vezes campeão do Open da Austrália, chegou estar a perder por 8-4, mas fez depois seis pontos seguidos, fechando o encontro em 4-6, 7-6(2), 6-4, 4-6 e 7-6(8), já bem para lá da meia-noite em Melbourne.

Foi a primeira vitória de Roger Federer em cinco sets nos últimos dois anos, num jogo em que errou mais que o habitual - fez 6 duplas faltas e impensáveis 82 erros não forçados. Na 3.ª ronda, o tenista de 38 anos terá pela frente o húngaro Marton Fucsovics, n.º 67 do Mundo.