Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

US Open tem luz verde para acontecer. Começa a 31 de agosto e não terá público nas bancadas

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, usou o Twitter para anunciar que o torneio do Grand Slam vai mesmo acontecer em Nova Iorque e que "as autoridades do ténis vão tomar precauções extraordinárias para proteger jogadores e staff"

Lusa

Tim Clayton - Corbis/Getty

Partilhar

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, revelou esta terça-feira que o US Open, um dos quatro torneios do Grand Slam de ténis da temporada, vai realizar-se entre 31 de agosto e 13 de setembro e sem espectadores.

A Associação de Ténis dos EUA decidiu avançar com o evento na cidade de Nova Iorque, mas ainda aguarda aprovação do estado, face à pandemia de covid-19.

“Estamos empolgados com o US Open, que será realizado em Queens de 31 de agosto a 13 de setembro. Será realizado sem adeptos, mas pode ser visto na televisão”, referiu Cuomo na rede social Twitter, acrescentando que “as autoridades do ténis vão tomar precauções extraordinárias para proteger jogadores e staff”.

O major norte-americano é habitualmente o quarto e último da temporada, mas em 2020, face à pandemia de covid-19, será o segundo a realizar-se, depois do adiamento de Roland Garros para setembro, logo após o US Open, enquanto Wimbledon, o torneio do Grand Slam mais antigo do mundo, foi cancelado pela primeira vez desde a II Guerra Mundial, em 1945.

Toda a atividade do ténis internacional encontra-se suspensa, pelo menos, até final de julho.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 436 mil mortos e infetou mais de oito milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (116.127) e mais casos de infeção confirmados (mais de 2,1 milhões).