Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Covid-19. Afinal, Novak Djokovic foi mesmo testado

O tenista sérvio não se queria submeter ao teste de covid-19, mas acabou por fazê-lo depois dos vários casos de contágio no torneio que organizou

Lusa

STRINGER

Partilhar

Marko Paniki, preparador físico do tenista Novak Djokovic, acusou positivo à covid-19, situação que levou o número um mundial a ser testado, depois de inicialmente ter recusado fazê-lo, revelou hoje a comunicação social sérvia.

Paniki é quarta figura ligada ao Adria Tour, torneio de exibição nos Balcãs, organizado por Djokovic, a testar positivo, depois dos tenistas Borna Coric e Grigor Dimitrov e de Kristijan Groh, treinador de Dimitrov.

Deste grupo, Dimitrov está a fazer a quarentena no Mónaco, onde reside, enquanto os restantes três estão retidos em Zadar, na Croácia, onde decorreu a segunda ronda da competição.

Inicialmente, ainda na cidade croata, Djokovic recusou fazer o teste da covid-19, alegando que não tinha quaisquer sintomas, mas acabou por realizá-lo já em Belgrado, assim como os membros da família que viajaram com o líder do ranking mundial.

A final do Adria Tour, que deveria ter decorrido no domingo, acabou por ser cancelada, devido ao caso positivo de Dimitrov, o primeiro a ser revelado.

Além de jogos de exibição, o torneio incluiu também eventos fora dos ‘courts’, como jogos de futebol e de basquetebol com todos os tenistas, incluindo Djokovic, e festas em discotecas.

O governo croata também anunciou que o primeiro-ministro Andrej Plenkovic será submetido a um teste, após ter estado nas bancadas a assistir aos jogos em Zadar.

Dimitrov participou num torneio organizado por Djokovic, que envolveu ténis, futebol, basquetebol e festas em discotecas. Está infetado

Nas redes sociais, o jogador de 29 anos, que já regressou ao Mónaco, local onde habita, revelou que está infetado com o novo coronavírus, um dia depois de ter abandonado o torneio, depois de perder frente a croata Borna Coric