Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Continua o êxodo das top 10: Simona Halep também não vai ao US Open por causa da covid-19

Romena é a 6.ª tenista do top 10 do WTA a recusar viajar para os Estados Unidos, citando receios com os efeitos do novo coronavírus, que tem no país o maior foco. O torneio arranca a 31 de agosto

Lusa

Wang HE

Partilhar

A tenista Simona Halep, segunda do ‘ranking’ mundial, decidiu não participar no Open dos Estados Unidos, devido aos riscos para a saúde ligados à pandemia Covid-19, anunciou esta segunda-feira a romena na rede social Twitter.

“Após ponderar os fatores inerentes à circunstância especial em que vivemos, decidi não viajar para Nova Iorque, para disputar o Open dos Estados Unidos”, refere Simona Halep, acrescentando que coloca sempre “a saúde no centro da decisão”.

O anúncio da desistência do US Open ocorre após Simona Halep, vencedora de Wimbledon em 2019, ter conquistado no domingo o seu 21.º título do circuito, ao vencer o torneio de Praga, frente à belga Elise Mertens, por 6-2 e 7-5.

O Open de Praga foi o segundo torneio europeu depois da interrupção da modalidade devido à pandemia de covid-19, uma semana após o torneio de Palermo, em Itália, que Simona Halep também venceu.

Halep, de 28 anos, é a sexta tenista do ‘top 10’ do WTA a desistir da deslocação a Nova Iorque, após a australiana Ashleigh Barty, líder da hierarquia mundial, a ucraniana Elina Svitolina (n.º 5), a canadiana Bianca Andreescu (n.º6), campeã em título, a holandesa Kiki Bertens (n.º7) e a suíça Belinda Bencic (n.º8).

A edição de 2020 do Open dos Estados Unidos, a decorrer de 31 de agosto a 13 de setembro, não irá contar com três das quatro finalistas da edição de 2019, nomeadamente Belinda Bencic, Bianca Andreescu e Elena Svitolina.