Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Governo francês pondera adiar o torneio de Roland Garros

A ministra do Desporto francesa revelou que o torneio do Grand Slam de terra batida poderá ser adiado, à semelhança do que aconteceu o ano passado, para que coincida "com a possível retoma da atividade desportiva e dos grandes acontecimentos". Roland Garros está agendado para entre 17 de maio e 6 de junho

Lusa

John Berry/Getty

Partilhar

A ministra francesa do Desporto admitiu que o adiamento de Roland Garros é novamente uma possibilidade, devido à pandemia de covid-19, depois de no ano passado o Grand Slam parisiense de ténis ter sido disputado fora das datas habituais.

“Estamos em diálogo com a Federação Francesa de Ténis para avaliar se temos de alterar a data para que coincida com a possível retoma da atividade desportiva e dos grandes acontecimentos”, indicou Roxana Maracineanu na noite de sábado, em entrevista à "France Info".

Roland Garros está atualmente programado entre 17 de maio e 6 de junho, coincidindo com aquelas que são as suas datas habituais no calendário do ténis.

“Neste momento, embora o desporto de alto nível tenha sido preservado, tentamos limitar o risco de aglomerados, de propagação do vírus no desporto profissional”, justificou a ministra.

No ano passado, o ‘major’ francês foi adiado devido à pandemia de covid-19, tendo decorrido entre 27 de setembro e 11 de outubro, com um máximo de 1.000 espetadores diários.

O presidente da Federação Francesa de Ténis, Gilles Moretton, já reconheceu estar a ponderar diferentes alternativas, excluindo, todavia, a opção de cancelamento do segundo torneio do Grand Slam da temporada.

“Quanto à assistência, podemos ir desde a porta fechada até a uma opção que nunca será de 100%. Temos preparadas todas as opções”, indicou esta semana.

Em França, desde a noite deste sábado e até dia 02 de maio, está em vigor um recolher obrigatório nacional entre as 19:00 e as 06:00, os franceses estão impedidos de se deslocarem a mais de 10 quilómetros do seu domicílio, a não ser em situações excecionais, e estão encerrados todos os comércios não essenciais.

O presidente francês, Emmanuel Macron, declarou, na quarta-feira, esperar ter condições para reabrir o país em meados de maio.

França, que regista 96.493 óbitos desde o início da pandemia de covid-19, enfrenta uma nova vaga do novo coronavírus. Na sexta-feira, o país acumulava um total de 4,74 milhões de casos positivos, 46.677 contabilizados nas 24 horas anteriores.