Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Ténis

Djokovic está cada vez mais perto do Grand Slam de carreira

O sérvio perdeu o primeiro e quarto sets, mas ganhou (4-6, 6-2, 6-4, 4-6 e 6-2) a Alexander Zverev na madrugada deste sábado e está na final do US Open, onde defrontará Daniil Medvedev. Novak Djokovic igualou as 31 finais de majors de Roger Federer e, caso vença no domingo, será o primeiro tenista depois de Rod Laver a conquistar todos os torneios do Grand Slam na mesma temporada

Lusa

Sarah Stier/Getty

Partilhar

O tenista sérvio Novak Djokovic está na final do Open dos Estados Unidos, depois de bater, na sexta-feira, o alemão Alexander Zverev por 3-2.

O "número um" do ténis mundial derrotou o quarto do 'ranking' ATP com os parciais 4-6, 6-2, 6-4, 4-6 e 6-2.

O sérvio, de 34 anos, vai tentar alcançar, no domingo, na final frente ao russo Daniil Medvedev (2.º), o recorde de 21 títulos do Grand Slam, ultrapassando assim os tenistas Roger Federer (9.º) e Rafael Nadal (5.º), ambos com 20.

Em 2021, Nova Djokovic já venceu o Open da Austrália, Roland Garros e Wimbledon, pode tornar-se o primeiro tenista masculino a conquistar os quatro majors no mesmo ano desde 1969 e estabelecer o recorde de 21 títulos do ‘Grand Slam’, distanciando-se do suíço Roger Federer e do espanhol Rafael Nadal, ambos com 20 troféus.

“Vou jogar como se fosse o último jogo. Porque é, sem dúvida, o mais importante da minha carreira. Será uma grande batalha, frente a um adversário que está em grande forma”, observou Djokovic, após 3:38 horas de confronto com Zverev, no obstáculo mais difícil que encontrou nesta edição do torneio nova-iorquino em piso duro.