Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Ténis

Portugal perde contra a Roménia e falha possibilidade de apuramento para as finais da Taça Davis

Uma derrota de João Sousa frente a Marius Copil selou o desaire da equipa lusa, que irá discutir, em março de 2022, um play-off para assegurar a permanência na segunda divisão do ténis mundial

Lusa e Tribuna Expresso

Jean Catuffe

Partilhar

A seleção nacional de ténis foi derrotada, por 3-1, pela Roménia, na eliminatória do Grupo Mundial 1 da Taça Davis (a segunda divisão mundial) realizada em Cluj-Napoca. Este resultado dita que a equipa lusa não consiga o apuramento para a fase de qualificação para as finais da Taça Davis.

No primeiro dia da eliminatória, as seleções terminaram empatadas, visto que João Sousa derrotou Filip Cristian Jianu (um triunfo que fez do vimaranense o luso com mais vitórias de sempre na Davis) e Gastão Elias perdeu o seu embate contra Marius Copil, o que levou o duelo para o segundo dia com a Roménia e Portugal com um ponto cada. Na jornada decisiva, os romenos somaram dois pontos e arrebataram o triunfo.

No jogo de pares, a dupla Nuno Borges (em estreia na prova) e João Sousa foi derrotada por Copil e Horia Tecau, um especialista da variante (é o 16º. do ranking ATP de pares, já tendo sido o número 2 e somando 38 títulos na carreira), o que obrigava Portugal a vencer o embate seguinte.

No entanto, João Sousa, atual número 150 do ranking ATP, foi batido por Marius Copil, 250.º colocado da hierarquia, por 6-3, 2-6 e 6-4, ficando, assim, selada a vitória romena.

Com esta derrota, Portugal diz adeus à hipótese de disputar o play-off de acesso às finais da Taça Davis, tendo de disputar, em março do próximo ano, as eliminatórias de manutenção para continuar no Grupo Mundial 1, a segunda divisão da competição.

  • Djokovic ganhou, perdendo com Medvedev
    Ténis

    O que ficámos a saber com a final do US Open, sem a mais microscópica dúvida, é que há formas de ganhar quando se perde, até quando a derrota tem toneladas de perfume em cima com a fragrância de uma irrepetível oportunidade perdida. Daniil Medvedev chegou a cilindrar Novak Djokovic e venceu-o (6-4, 6-4, 6-4) para conquistar o seu primeiro Grand Slam, mas, quando o fim já estava perto, o sérvio ganhou a consensualidade no apoio que nunca sentira em tantos anos. E o sérvio acabou desfeito em lágrimas

  • Emma Raducanu, o novo projeto de lenda em gestação
    Ténis

    A adolescente tenista concretizou o fantástico: vinda do qualifying, é a primeira jogadora na história a conquistar um torneio do Grand Slam. Emma Raducanu esteve em 10 encontros e ganhou todos os 20 sets que enfrentou, os últimos na final deste sábado do US Open, contra Leyla Fernandez (6-4, 6-3). Ah, e só tem 18 anos