Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

O Rui Vitória dos laterais-direitos, o extremo em dia Rui, a procuração para despedir Rui e o enigma professor Rui (por um Azar do Kralj)

Obviamente, já perceberam por que caminhos foi a análise de Vasco Mendonça ao jogo dos encarnados. Não é preciso mais. Talvez um “uma procuração para despedir” aquele que já foi mencionado

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

picture alliance

Partilhar

Vlachodimos
Como acham que o melhor jogador do Benfica no jogo de hoje se sente, sabendo que a sua exibição foi absolutamente incapaz de travar um adversário mediano e mais uma goleada para os livros de história do Benfica nas competições europeias? Pelo ar transtornado com que abandonou o terreno de jogo, Vlachodimos pareceu sentir que podia ter feito mais, mas isso só se lhe tivessem passado poderes de procuração para negociar a saída imediata de Rui Vitória. Fora isso não estou a ver.

André Almeida
No final do jogo argumentou que o problema do Benfica não se deve à defesa, mas passa pelo colectivo, uma variação futebolística da corrente de pensamento "se não é do cu é das calças". Explicou também que a equipa começou bem o jogo, provavelmente referindo-se ao facto de os jogadores terem entrado no relvado sem se lesionarem, e acrescentou que uma derrota assim não se explica enquanto explicava detalhadamente o que se passou com a normalidade de quem já aprendeu a conviver com o insucesso. Terminou com uma nota optimista, afirmando que voltaremos a vencer juntos, mas no fundo o seu rosto pareceu transparecer alguma felicidade por não ter singrado no futebol enquanto lateral-esquerdo e assim não ter sido comido de cebolada por Robben. Em suma, André Almeida precisa de dar menos entrevistas após goleadas na Champions, sob pena de se vir a tornar, muito rapidamente, o Rui Vitória dos laterais direitos. Felizmente já estamos fora da Champions, o que resolve uma parte do problema.

Rúben Dias
Tudo levava a crer que Ruben Dias aproveitaria o embalo resultante dos elogios de Chiellini para secar Lewandowski e mostrar à Europa do futebol que o Benfica não anda aqui a brincar. Tudo, excepto a realidade.

Conti
Pavoroso. Apesar dos muitos exames que os jogadores contratados pelo Benfica são obrigados a realizar no Hospital da Luz, faltou uma consulta de oftalmologia para avaliar os olhos de carneiro mal morto que definem o rosto de German Conti, e tudo o que está à volta daquele semblante de um predestinado à derrota. É como se tudo o que acontece de mau ao Benfica coubesse naqueles olhos: se observarem com atenção, verão o Feirense a marcar em contra-ataque no próximo fim-de-semana, a flash interview de Rui Vitória após essa derrota, e o próprio German Conti a chegar ao Seixal na manhã seguinte ao mesmo tempo que Rui Vitória. É uma espécie de inferno da Luz, mas diferente.

Grimaldo
Há algumas semanas que os adeptos defendem a necessidade de Grimaldo passar algumas semanas no banco de suplentes como forma de atinar. Depois deste jogo, talvez o melhor seja uma cadeira de rodas.

Fejsa
Mais do que salientar a péssima exibição de hoje, mais uma de muitas esta época, celebremos o facto de ter sobrevivido a mais 75 minutos de indicações táticas dadas por Rui Vitória.

Pizzi
Sinais muito promissores na sua estreia no onze do Bayern, absurdamente interrompida por Rui Vitória ao intervalo.

Gabriel
Uma das suas exibições mais esforçadas até agora - e mesmo assim levámos cinco. Poderíamos elogiar a sua abnegação, a entrega ou mais não sei quê, mas na verdade quem está de parabéns são os adeptos que demonstraram um espírito de sacrifício e uma capacidade de sofrimento impensáveis depois da exibição frente ao Arouca.

Cervi
Eu tenho um cacto assim aqui em casa. Arrancou muito bem, mas assim que eu comecei a regá-lo convencido de que sabia tratar de plantas, comecei a assassiná-lo. Felizmente a administração da SAD aqui em casa despediu-me a tempo de salvar o cacto e, consequentemente, o meu lugar à mesa de jantar.

Rafa
Hoje esteve claramente em dia Rui. Fraquinho, sem grande capacidade para se soltar das amarras impostas por uma equipa que sofreu três golos do Düsseldorf há poucos dias. Em vez das habituais diagonais, desenhou meia dúzia de semi círculos tremidos.

Jonas
A sua saída aos 59 minutos permitiu encolher ainda mais a equipa, retirar-lhe algumas dezenas de pontos a um QI que já era baixo, e providenciou a prova que faltava aos adeptos de que estamos agora nas mãos de um cidadão perigoso, visivelmente atraído pelo abismo. Deus nos ajude.

Gedson
Nada como sair do banco para onde foi enviado há algumas semanas e ser o autor, em conjunto com Jonas, um dos poucos lances ofensivos minimamente esclarecidos. Correndo tudo bem, voltará agora a ocupar o seu lugar no banco de titulares, um conceito enigmático criado por Rui Vitória ao longo da presente temporada.

Alfa Semedo
Substituiu Fejsa para ajudar a restabelecer a ordem no meio-campo e segurar a preciosa vantagem no marcador.

Seferovic
Substituiu Jonas aos 59 minutos. As suas acções no jogo fizeram lembrar os efeitos cientificamente comprovados da homeopatia.