Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Um Azar do Kralj, que tal como Odysseas, só acordou para a grande penalidade de Jonas, viu ainda Pizzi não a encher, mas a esvaziar o campo

Depois da vitória magrinha do Benfica frente ao Marítimo por 1-0, Vasco Mendonça pede desculpa a João Félix, o mais talentoso dos miúdos dos encarnados a fazer este papel algo patético de entrar 2 ou 3 minutos para não fazer grande coisa

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

GREGORIO CUNHA/EPA

Partilhar

Odysseas

Não vos vou mentir. Tal como Odysseas, quase só acordei para o penalty do Jonas.

André Almeida

Começa a tornar-se muito difícil justificar perante mim mesmo a observação de 90 minutos de André Almeida. Eu sei que alguns leitores gostam de me chamar avençado, mas não há dinheiro que pague este sofrimento.

Jardel

Continua a proteger estoicamente o treinador que lhe deu mais minutos de jogo até hoje. Respeito o profissionalismo, mas preferia um auto-golo.

Rúben Dias

Conseguiu anular a maioria das iniciativas ofensivas que passaram pela sua zona de acção e ainda segurou a cabeça de Fejsa enquanto este vomitava.

Grimaldo

Discreto e algo inconsistente, mas a culpa não é só dele. No final da partida teve que ter uma conversa com Cervi do estilo "o problema não és tu, sou eu". Se fosse mais honesto, Grimaldo diria ao seu amigo argentino que o problema, de facto, foi mesmo Cervi.

Fejsa

A notícia começou a circular por volta das 18 horas quando, num relvado do Funchal, um homem de elevada estatura e rabo de cavalo foi visto a correr aparentando sinais de desorientação técnico-táctica e depressão profunda. Testemunhos no local parecem indicar que se trata de Ljubomir Fejsa, o conhecido centrocampista que se sagrou tetracampeão pelo Benfica e não mais foi visto.

Pizzi

Esvaziou o campo.

Gedson

São mais as decisões acertadas do que os erros próprios da idade, mas a evolução de Gedson - em termos gerais e no terreno de jogo esta tarde - parece continuar a sofrer com a continuidade de Rui Vitória. O treinador do Benfica transformaria isso em "capacidade de sofrimento", explicando através de uma série de lugares comuns que azul é afinal amarelo e que a terra é, evidentemente, plana. É a diferença entre quem vê o Gedson actual e quem vê o craque que o miúdo poderá vir a ser, de preferência antes de deixar o clube.

Zivkovic

Podemos perdoar os muitos meses passados no banco de suplentes, mas não devemos esquecê-los. Zivkovic substituiu Rafa e mostrou que ainda é possível esperar alguma coisa do Benfica esta época, apesar de tudo o que lhe tem acontecido ou até de quem dirige os treinos.

Cervi

Negação, raiva, negociação e depressão. São cinco os estágios descritos pelo modelo de sofrimento de Kubler-Ross. O quinto é a aceitação, mas ainda há uma réstia de benfiquismo em mim que se indigna com o momento de forma vivido por Cervi.

Jonas

Escusava de ter feito um número de circo para sacar o penalty. Não é preciso tanto. Ainda agora em Alvalade se marcou um penalty sem que tenham sequer tocado no Bas Dost. A sua cara de dor nos festejos do golo pareceu indicar uma lesão nas costas ou a triste constatação de que Rui Vitória deverá durar até ao Natal.

Gabriel

Tenho uma criança de 4 anos em casa com uma gastroenterite. Não sei se foi coincidência, mas de cada vez que o Gabriel tocava na bola lá ia ele à casa de banho vomitar.

Seferovic

Aos 86' caiu sozinho quando o Benfica tentava responder em contra ataque. Estranhamente, o árbitro não assinalou nada.

João Félix

Nunca tínhamos tido um jogador tão talentoso a fazer este papel algo patético de entrar 2 ou 3 minutos para não fazer grande coisa. Desculpa, miúdo.