Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

O proto-bigode que Svilar não devia ter, o sumo de bróculos que Gabriel devia beber e a dose de dopamina que é Félix (por Um Azar do Kralj)

Vasco Mendonça também gostou de ver Rúben Dias em Guimarães a interpretar o papel de falso tosco e Jardel a recuperar depois de ter perdido um duelo com Ola John

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

OCTAVIO PASSOS/EPA

Partilhar

Svilar

Não sei se este proto-bigode do Svilar justificaria um remate à baliza por parte do Vitória, mas não me chocaria se levasse uma bolada na cara, para aprender a respeitar uma das mais importantes instituições deste país.

André Almeida

Felizmente não atiraram mais objectos na direcção dele, senão teria sido expulso por acumulação da amarelos. Acima de tudo, tenho dificuldade em lembrar-me de um cruzamento seu durante o jogo de hoje. São estas pequenas vitórias que nos fazem acreditar.

Rúben Dias

Excelente a interpretar o papel de falso tosco. Ruben Dias amaciou os adversários com uma série de saídas paupérrimas no sector mais recuado e, quando os vimaranenses menos esperavam, lançou-se no meio campo adversário e desmarcou João Félix com um passe só ao alcance dos predestinados, ou, pelos vistos, de alguém como Ruben Dias.

Jardel

Um homem menos seguro de si teria quebrado depois de perder um duelo com Ola John, mas o capitão Jardel soube recuperar do desaire e terminou o jogo com o sentimento de dever cumprido e a cabeça levantada, tudo isto enquanto ordenava os colegas para que fossem celebrar com os adeptos. Desculpas aceites.

Grimaldo

O espanhol bem tenta pôr em prática aqueles princípios interessantes de saída com bola que os hipsters viram na equipa B treinada por Bruno Lage, quiçá num treino chuvoso do Sheffield Wednesday há cinco anos, mas quando Grimaldo dá por si já um dos centrais atirou a bola para o pinhal.

Fejsa

Não sei porque é que saiu ao intervalo e a equipa parece ressentir-se sempre que Fejsa não está em campo, mas, ao fim de três vitórias consecutivas e convincentes, quem sou eu para questionar o nosso mister? Força, Bruno. Aguenta, Fejsa.

Pizzi

Excelente reforço de Janeiro para este Vitória. Foi muito importante para conter o ímpeto ofensivo da equipa encarnada, conseguindo uma boa meia dúzia de recuperações de bola que mantiveram o Vitória na luta.

Gabriel

Ok, já percebi que Gabriel é um dos jogadores de Bruno Lage. Acima de tudo, quero dar ao nosso treinador as condições necessárias para que este realize o seu trabalho e nos conduza à natural #reconquista. Por isso, e só por isso, sinto-me obrigado a reconhecer que o brasileiro fez grande joga hoje. Só lhe falta passar uma semana em detox a beber sumo de brócolos e tem tudo para agarrar definitivamente um lugar no onze.

João Félix

Vamos assumir que João Félix tocou algumas 96 vezes na bola. Cada uma dessas intervenções é como uma pequena dose de dopamina. Nunca sabemos exactamente o que vai fazer. Quando acerta o passe, fá-lo com uma classe ao alcance de poucos. Quando falha, percebemos a nobreza da intenção. Quando cospe, acompanhamos a trajectória graciosa do seu cuspo. Quando se atira para o chão, tememos pela vida de um filho. Quando marca golo, benzemo-nos tal como ele.

Zivkovic

Estranhamente as suas acções em campo não decidiram o jogo de hoje, conforme tem sido habitual. Tem tudo para se redimir já esta sexta-feira.

Seferovic

A culpa é dele. Não tinha nada que desatar a marcar golos. Sobram duas hipóteses: Seferovic pode continuar a marcar golos até ao fim da sua carreira no Benfica e tornar-se uma lenda do clube, ou continuar a marcar uns golinhos de vez em quando e ser esquecido 10 minutos depois de abandonar o Seixal. A escolha é dele.

Samaris

Número de pessoas que viram Samaris entrar em campo no início da segunda parte e disseram "olha que agradável surpresa!": zero.

Salvio

Faltam-me as palavras. Não consigo imaginar um insulto que faça justiça à pobreza da sua exibição.

Gedson Fernandes

Nada como um futebolista cujo penteado nos lembra de regar as plantas. As begónias agradecem, miúdo.