Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Conceição não cumprimentou Félix? Tudo certo. É que um é pago para ter mau perder, o outro para ganhar bem (por Um Azar do Kralj)

Vasco Mendonça refere-se ao momento em que João Félix estendeu a mão a Sérgio Conceição como o gesto técnico mais bonito do miúdo - além do golo, claro, quando começou a sentir-se "o cheiro pestilento" que antecedia "a chegada do dia do julgamento no Dragão"

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

Gualter Fatia

Partilhar

Vlachodimos

Defendeu tudo o que havia para defender, em especial na segunda parte quando o adversário tentava dar um arzinho da sua graça. A calma com que impediu o remate de Danilo merecia que a realização colocasse uns óculos escuros e um cigarro no canto da boca. Melhor só se tivesse ido à cabine do VAR e restaurado a visão de Tiago Martins após o golo ilegal do FC Porto. Mas isso faria dele um deus, e esse lugar já se encontra ocupado por Bruno Lage.

André Almeida

O rei das assistências André Almeida fez folga esta noite (apesar de várias acções ofensivas competentes), mas felizmente pudemos contar com a presença do rei dos cortes in extremis, que é tão bom ou melhor. Se dúvidas restassem, André Almeida sabe que ajudou decisivamente a sua equipa a ganhar a partir do momento em que o treinador da equipa adversária, ainda meio desnorteado na sala de imprensa, desabafa sobre um lance em que o nosso Almeidinhos tirou o pão da boca do Herrera. Fora isso, fechou o mais que pôde as investidas de Brahimi, o Robben do Bolhão, que assim se viu obrigado a rodopiar sobre si mesmo mais vezes do que gostaria.

Rúben Dias

Se fosse legal apostar qual seria a reacção de Rúben Dias a uma chapada de Brahimi, alguém teria perdido uma fortuna. O facto é que o nosso capitão em formação evitou o confronto e com isso livrou-se de ficar fora mais do que um jogo. Já o Brahimi livrou-se de uma visita ao dentista amanhã. Toda a gente ganha. Não. Esperem. Só ganhámos nós. Inchem.

Ferro

Marega bem pode ir à China para resolver os seus problemas físicos, mas todos vimos que foi Ferro quem lhe tratou da saúde. Eu quando vou ao Porto trago de lá umas boas garrafas de vinho. O nosso jovem central optou por trazer um maliano no bolso. Vai ser estranho aparecer em casa com ele. É melhor avisar a namorada antes.

Grimaldo

Fez história quando ganhou um lance aéreo a Marega, como que dizendo que tudo era possível nesta noite no Dragão, incluindo um golo do Porto em fora de jogo, claro. Grimaldo, que na Taça da Liga fora batido algumas vezes pelo avançado do Porto, revelou maior rigor defensivo e a qualidade do costume a atacar, abrindo alas para o arrastão ofensivo liderado pelos colegas Rafa, Pizzi ou Seferovic, ou até mesmo metendo a mão ao bolso de alguns jogadores adversários para lhes sacar o telemóvel.

Samaris

É sempre assim. Toda a gente se apaixonará por um assassino charmoso como João Félix, mas é raro elogiarmos os homens que se livram do corpo. Deixemos por isso uma palavra de apreço para Andreas Samaris, aliás, uma nota de profunda admiração. A tarefa pode não ter o glamour de outras, e é verdade que momentos houve durante o jogo em que o médio grego se esqueceu de queimar as roupas dos falecidos, mas a sua exibição terminou com um daqueles cortes dentro da área que vence jogos e às vezes até campeonatos.

Gabriel

Liderou a brigada de minas e armadilhas no centro do terreno, desativando uma série de engenhos explosivos com um simples corte do fio azul. A sua acção permitiu que os colegas à sua frente preparassem o espectáculo pirotécnico com que os jogadores do FCP foram presenteados esta noite. Louve-se a decência. Pelo menos estes não estavam no hotel a dormir. Terminou a participação no jogo de hoje fazendo um décimo daquilo que qualquer benfiquista tem vontade de fazer a Otávio quando o vê repetidamente à procura de caldinho. E mesmo assim Jorge Sousa entendeu que devia acabar expulso. Eu teria ido preso.

Pizzi

A forma como se desenvencilhou de três adversários no momento do passe para Rafa é uma síntese perfeita da qualidade exibicional demonstrada no sábado. Por um lado, temos Pizzi relaxado a brincar na área portista. Por outro, temos uma defesa do FCP desorientada a tentar perceber que atropelo de futebol era este. Assim que perceberam a ideia, já o remate de Rafa tinha sido devidamente colocado na gaveta.

Rafa

Aos poucos o seu rosto vai adquirindo feições de vencedor e o futebol de Rafa perde a necessidade de pedir licença. Hoje voltou a levar tudo à frente com os seus dribles e a capacidade de correr muitos metros, levando consigo uma equipa capaz de trocas de bola e posição que foram deixando o meio campo e a defesa portista em estado de sítio. Não tanto porque o golo fosse sempre iminente, mas porque desde cedo se sentiu no Dragão um primeiro leve, depois pestilento cheiro a cocó de quem percebeu que chegara o dia do julgamento. Como se tal não bastasse, ainda conseguiu afastar de vez a fama de tipo que só marca quando o resultado está feito. Marcou um golo absolutamente decisivo e, mais importante, não pareceu estranhar que isso lhe tivesse acontecido. Antes disso, já conquistara os adeptos quando se dirigiu a João Félix no festejo do primeiro golo e lhe pediu que se levantasse.

João Félix

Continua a acrescentar golos de belo efeito à sua colecção. Nas últimas semanas marcou de cabeça, de pé direito e de pé esquerdo. Urge por isso recorrer a outro tipo de execuções técnicas para não fatigar o adepto. Hoje recebeu orientado de Seferovic e, com a bola à sua mercê, colocou a parte exterior do pé direito por forma a colocar o esférico na baliza e um melão na cabeça de cada adepto da casa. Mesmo sabendo que o empate não bastava, João Félix fez o que qualquer miúdo faria e correu para celebrar o golo. Queriam ver-nos de joelhos novamente e o miúdo fez-lhes a vontade. Mas o gesto técnico mais bonito da noite estava guardado para o final. Dirigiu-se a Sérgio Conceição para o cumprimentar e este recusou. Tudo certo. Enquanto o treinador do Porto é pago ter mau perder, o nosso miúdo é pago para ter bom ganhar.

Seferovic

É dele a assistência para o primeiro golo e uma série de participações no jogo que, não tendo matado ninguém, permitiram moer Felipe até este se tornar condimento. Assim que ganharam o gosto, os restantes colegas no ataque começaram a pedir-lhe que "passasse o Felipe, por favor".

Gedson

Assim que pisou o relvado tornou-se o oitavo português em campo no Dragão. Mais uma goleada indecente para o Benfica.

Corchia

Entrou para ajudar a compor uma defesa de 5 que cortasse as vazas a um FCP cada vez mais desesperado. A substituição foi à Lage, os 5 minutos em campo foram à Benfica.

Cervi

Bruno Lage sabe o que faz. Franco Cervi entrou nos últimos instantes de uma vitória saborosíssima para nos lembrar de que a vitória de hoje foi um passo decisivo para podermos ver o pequeno argentino novamente bêbedo a dançar no Marquês. Até lá, já sabem: jogo a jogo, treino a treino, e CARREGA BENFICA.