Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Sobre Ferro, Um Azar do Kralj pergunta: quando foi a última vez que vimos um central do Benfica que estica o mindinho quando bebe chá?

Após a vitória do Benfica frente ao Moreirense por 4-0, Vasco Mendonça traz também à baila a estranha cumplicidade que João Félix criou com Jonas desde que Seferovic se lesionou, que está a fazer alguns benfiquistas questionarem-se sobre o futuro da relação amorosa entre João Félix e Seferovic

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Partilhar

Vlachodimos

Tal como nós, mantém uma ténue vantagem sobre a nossa desconfiança no desempate por golos sofridos. Ou seja, faltam oito finais para nos reconciliarmos com Vlachodimos. Se nos cingirmos ao resultado final, o grego fez mais uma daquelas exibições cabalmente demonstrativas de competência para a função de guarda-redes. No entanto, se incluirmos lances invalidados pelo auxiliar que não somos capazes de apagar da nossa memória, a exibição do grego voltou a aconselhar o uso de fralda.

André Almeida

Não se pode ser sempre o melhor em campo ou o jogador com mais assistência para golo. Hoje foi a vez de André Almeida dar o lugar a outro.

Rúben Dias

Depois de na jornada anterior ter oferecido um golo ao Belenenses sem que as autoridades tenham investigado as suas motivações, Rúben Dias regressou às exibições acima de quaisquer suspeitas. É manter este desempenho e talvez evite uma visitinha da Polícia Judiciária.

Ferro

Continua a deslumbrar pela inteligência e pela capacidade de impor o físico sem ser um brutamontes, atributo que não lhe parece correr no sangue. Afinal, quando foi a última vez que vimos um central do Benfica que estica o mindinho quando bebe chá?

Grimaldo

O que não nos mata torna-nos mais fortes e Grimaldo soube ser fiel a este provérbio. Depois de sobreviver a um pisão de João Aurélio, o espanhol arrancou para mais uma exibição responsável na defesa e explosiva a lançar ataques de colegas, culminando hoje numa belíssima assistência para o puto Félix após combinação com Ivanildo.

Samaris

Cada vez mais líder no meio campo, pela pressão que impõe ao adversário com bola, pela qualidade do que faz com a bola no pé (ou na cabeça), e pelo efeito que a sua presença tem nos colegas - ainda decorriam os festejos do segundo golo, marcado por Samaris, quando vemos o grego avisar "malta, cuidado com a aguardente ao intervalo, vamos lá ver se aguentamos esta merda sem travadinhas, ok? Agora não, falamos da minha renovação no final do jogo." Chegado à flash interview, fez isto tudo novamente, desta vez utilizando palavras. Sendo eu homem e heterossexual, seria estranho pedir-lhe que me fizesse um filho. Mas posso pelo menos pedir-lhe que escreva um livro com todas as palavras que aprendeu em Portugal e os títulos conquistados. Que estranha reviravolta. Passada a tempestade do bombo, Samaris tornou-se uma das histórias mais bonitas deste Benfica.

Gabriel

Parece que foi anteontem que vimos Gabriel encher o campo frente a uma dúzia de croatas, e foi mesmo. A exibição dominadora de hoje, uma bofetada de luva branca a todos os especialistas em ciência desportiva, fez-me lembrar aquela vez que questionei o senhor acerca da frescura da alface no Pomarinho da Várzea de Colares. Não só fui recebido com um olhar torto como acabei a levar um camião de alfaces para casa, tal era o sentimento de culpa pela estupidez da minha dúvida. Tornámo-nos bons amigos desde então.

Pizzi

Os poucos ateus que ainda duvidavam da importância de uma religião inspirada no treinador do Benfica terão engolido um gigantesco sapo quando viram Pizzi marcar um canto para o meio dos centrais. Os milagres acontecem, amigos. Só têm de abrir o coração e deixar Lage entrar.

Rafa

Venha quem vier, seja onde for, o novo Rafa joga, faz jogar, marca, dá a marcar, pressiona, contra-ataca, e faz tudo isto a cem à hora, sempre satisfeito com a tarefa em mãos. Só lhe falta fazer risotto para ser mais importante na minha vida do que a Bimby.

João Félix

Desenvolveu uma estranha cumplicidade com Jonas desde que Seferovic se lesionou, ao ponto de alguns questionarem qual o futuro da relação amorosa entre João Félix e Seferovic. Não obstante, o jovem português mostrou estar-se nas tintas para as minhas observações dignas de um Cláudio Ramos e voltou a finalizar com a frieza quase irritante dos predestinados, e por predestinado entenda-se jogador agenciado por Jorge Mendes. Se a isto juntar menos entrevistas a jornais espanhóis em dia de jogo, tem tudo para conquistar um lugar muito especial no coração dos benfiquistas ao longo das poucas semanas que lhe restam em Portugal.

Jonas

Tem hoje a mobilidade de Michael Thomas, mas a inteligência, bom, de Jonas. Tendo em conta que até parado ele joga bem, é de esperar que volte a renovar, no mínimo até 2030. Jonas sabe tanto disto que vai transitar para treinador no momento em que lhe for fisicamente impossível manter-se em campo. Só nesse momento, em Maio de 2030, o filho de João Capela mandará entrar a maca para que transportem Jonas até ao banco, onde passará a desempenhar a sua nova função. Até lá, é beijar o chão que ele pisa.

Gedson

A psicologia social já demonstrou que a alegria no trabalho não só promove um aumento de produtividade como tem um efeito de contágio que faz todos produzirem mais e melhor. Agora é esperar que o Gedson apanhe o vírus.

Florentino

Sê a mudança que queres ver no mundo. Terão sido estas as palavras ditas por Bruno Lage antes de Florentino entrar em campo. Florentino benzeu-se e acelerou rumo à sua posição natural no relvado, ali naquela faixa de terreno onde a esperança dos adversários se dirige para morrer. Fez tudo bem e a mais não era obrigado, mas estes miúdos de hoje em dia não descansam. Enquanto uns clamam por alterações climáticas, Florentino fez a sua parte e conseguiu marcar um golo que é, em si, uma recuperação de bola. Mais uma goleada para o Benfica, uma pequena vitória para o ecossocialismo. As coisas já estavam animadas, mas não é preciso ser cientista para concluir que o clima melhorou ainda mais.

Cervi

O tipo que corre desenfreadamente mas não acerta uma substituiu o tipo que muda o futebol da equipa sem se mexer. Este Lage tem um sentido de humor danado.