Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

O que têm em em comum Seferovic e uma máquina de lavar? Um Azar do Kralj explica

Vasco Mendonça já deu por si a googlar "bruno varela recompra" por causa das dificuldades recentes de Odysseas e também se admira com a recuperação do ex-fumador de dois maços de tabaco por dia, Taarabt. Ou o rescaldo da vitória do Benfica sobre o Feirense por 4-1

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

Getty

Partilhar

Vlachodimos

Ao contrário do que tem sido dito nas últimas horas, o golo invalidado ao Feirense não deixa margem para dúvidas. É mais um frango de Vlachodimos. Talvez vos consiga explicar o drama que tem sido se disser que a certa altura dei por mim a googlar "bruno varela recompra".

André Almeida

Um golo que colocou o Benfica em vantagem antes do interval, uma assistência sob a forma de cotovelada antes do quarto golo, e um corte preciosíssimo que impediu Taarabt de se estrear a marcar, assim salvando a carteira de todos os que apostaram um jantar no Nunes se o marroquino algum dia marcasse um golo num jogo da equipa principal. Infelizmente, ainda faltam 6 finais e tudo é possível, excepto André Almeida jogar mal.

Rúben Dias

Apesar de mais uma exibição segura, Rúben Dias parece ainda carregar o fardo da responsabilidade. Jogou mais vezes esta época do que todos os outros, ascendeu a capitão de equipa e, no preciso momento em que Luís Filipe Vieira afastava os interessados que nem mosquitos, desatou a cometer erros compremetedores. A habitual rotina de polícia mau passou a polícia péssimo e agora é uma espécie de polícia em reabilitação, à espera que a sociedade volte a confiar em si. Faltam-lhe 8 horas e meia de trabalho comunitário. Veremos como se comporta.

Ferro

Foi há quase 15 anos e já vão perceber. Estávamos em 2006 quando Ricardo Carvalho, então no Chelsea, foi convidado a escolher um tema musical para uma compilação dos campeões. Por entre algumas escolhas toleráveis, muito azeite e Mourinho rendido a uma canção de Bryan Adams, a maior demonstração de bom gosto e requinte, aliás consistente com as suas prestações em campo, viria de Ricardo Carvalho, que sugeriu Fools Gold, de Stone Roses. Ainda hoje, pessoas como eu recordam com emoção um dos momentos mais coerentes da história do futebol mundial. Ninguém imaginava Paulo Ferreira ou Hilário a sugerirem uma canção dos Stone Roses. Agora que começamos a vislumbrar em Ferro um defesa central de igual calibre futebolístico e intelectual, é importante perguntar: que canção irá Ferro escolher para a compilação dos campeões 2018/19? Um clássico ou qualquer coisa contemporânea? Jovial e alegre ou melancólico e circunspecto? Não sabemos ao certo o que a vida nos reserva, só sabemos que aquilo que sai dos pés de Ferro é um antídoto desarmante para um momento especialmente virulento do futebol português. Talvez "I Just Wans't Made For These Times" dos Beach Boys, por exemplo "Movin On Up" dos Primal Scream, porque não "Harmony Hall" de Vampire Weekend, ou porventura "Tender" dos Blur, ouvida comunalmente por dirigentes, futebolistas e adeptos em paz e harmonia à volta da fogueira, não, esperem lá, isso vai acabar com alguém atirado para a fogueira.

Grimaldo

Esta alternância entre críticas aos adeptos e participações fulcrais em vitórias da equipa está muito bem. Seguir-se-á uma exibição pálida e apupada frente ao Eintracht, para logo depois nos brindar com um pontapé fulminante a 30 metros da baliza do Vitória de Setúbal. Isto no fundo é amor, Alejandro.

Florentino

É tão raro ele desarmar um adversário recorrendo à falta que até João Pinheiro e Bruno Paixão acharam impossível que Florentino tivesse pisado João Silva dentro da área. Foi a sorte dele, mas é como se costuma dizer. A sorte conquista-se e Florentino garantiu a sua por via de um cavalheirismo ímpar nas lides do meio campo defensivo, que hoje voltou a fazer vítimas e fãs.

Samaris

É o único futebolista em Portugal que sabe o que a casa gasta. Levou uma fruta e riu-se, como que anuíndo. Curiosamente, é também um dos pouquíssimos jogadores da história do Benfica capaz de conjugar o verbo anuir, e o único capaz de o fazer enquanto atropela um adversário com uma subtileza que evitará a admoestação e garantirá, enfim, a tão merecida renovação do contrato.

Pizzi

Se há já alguns meses nos habituámos a ver Bruno Lage pisar o relvado e admirar as bancadas antes dos jogos, o que dizer do topógrafo Pizzi? Tal como os seus colegas de profissão, também ele sofre do estigma vulgarmente conhecido por "lá está mais um destes gajos com uma maquineta a olhar para a rua, é que não percebo mesmo, tirando a filha do padeiro não há nada para ver aqui", mas Pizzi não se amedronta nem deixa que a ignorância da sociedade o impeça de fazer o seu trabalho, permitindo a este país que diariamente pisamos funcionar um pouco melhor, porque felizmente o Benfica ganhou.

Taarabt

Apesar de esclarecido, grande parte do futebol exibido por Adel Taarabt sofre de um de dois males: por um lado, percebe-se que Adel solta algumas bolas como quem diz "toma lá, se esta merda correr mal que não seja por causa de mim"; por outro, sempre que Adel parece ultrapassar o medo de ser feliz, há algo na sua expressão facial que diz "TEM CALMA, AINDA HÁ 3 MESES FUMAVAS 2 MAÇOS POR DIA". Deus queira que os pulmões recuperem e o medo se vá todo. Os pés enganam: para lá das trevas de uma vida de curvas e contracurvas, muito para lá, onde vivem os vencidos da vida com um salário de 200 mil brutos mensais, está um jogador de futebol.

João Félix

Vamos fazer assim, João: vou começar a deixar frases a meio em todos os textos ou então limito-me a escrever asneiras sem qualquer espécie de ideia clara. Veremos se a Tribuna continua a requisitar os meus serviços ou se acabo na Dica da Semana.

Seferovic

Mais uma noite de acerto da máquina goleadora que nos deixou apeados em Alvalade. Desengane-se quem acha que a culpa é sua. Foi de todos e agora é seguir em frente. A confiança que sinto quando vejo Seferovic em campo só é comparável à relação que mantenho com a minha máquina de lavar desde que descobri como funciona o temporizador. Até então era a máquina de lavar que contava com a minha colaboração para fazer o seu trabalho, agora sou eu que conto com a máquina de lavar para celebrar o facto insofismável de a minha roupa não cheirar a cavalo.

Jonas

Foi hoje, em plena combinação com Grimaldo no flanco esquerdo, que me apercebi que Jonas não vai durar para sempre e tudo isto é um sonho bonito que se aproxima do final. Fiz o que qualquer criatura senciente faria: apontei para a coxa e chorei baba e ranho abraçado a um apanha-bolas.

Cervi

Não esperem por mais nada nem ninguém. Aproveitem a vida como se não houvesse amanhã. Comecem já. Não deixem que o destino vos pregue uma partida e acabem a lamentar a vossa sorte. Não demos a felicidade por adquirida. Nunca sabemos quando a vida nos vai trocar as voltas e colocar no lugar do Taarabt num relvado em Santa Maria da Feira aos 81 minutos de jogo.

Gedson

Aquela humilhação de só entrar em campo depois do Cervi. Força miúdo!