Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Numa prosa escrita em posição fetal, Um Azar do Kralj fala do privilégio que foi voltar a ver o Rafa que tem tudo para brilhar no Al Nassr

Ele há noites assim e a de Rafa não foi boa. Ou a de quase todos os jogadores do Benfica esta quinta-feira em casa do Eintracht Frankfurt

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

Maja Hitij/Getty

Partilhar

Vlachodimos

Fez duas ou três defesas que pareceram indicar uma vontade de passar às meias finais. Intrigante.

André Almeida

O melhor lateral direito da actualidade não terá lido correctamente as incidências da partida, isto porque chegou ao final e disse "É normal sentirmos revolta porque fomos melhores" sem se rir. Foi pena. No dia internacional dos Monumentos, esperava-se mais de André Almeida, bi-vencedor do prémio Puskas. Esperava-se uma bola na baliza. Uma palavra de ânimo para os adeptos. Tudo menos uma bola para o pinhal como quem celebra a vitória moral. Felizmente vai retomar o papel de capitão já na próxima segunda-feira e presentear-nos com uma daquelas exibições vintage que só ele.

Jardel

Que pena não se ter perdido a caminho do estádio.

Rúben Dias

É dele uma das intervenções pouco convictas que levam ao segundo golo do Eintracht, mas a sua pior intervenção aconteceu já depois do final da partida, numa flash interview em que justificou a eliminação com um erro de arbitragem. Desta vez a entrada a pés juntos foi sobre todos os que assistiram ao jogo.

Grimaldo

Terá sido dos poucos sortudos a encher o depósito antes de rumar a Frankfurt, tal foi a energia e até a pontinha de indignação com que chegou ao final da partida. Por pouco não assistiu Salvio para um golo que me faria ser ligeiramente mais simpático nas avaliações de hoje. Talvez seja melhor assim.

Fejsa

Há jogadores que chegam ao fim das partidas e pedem ajuda aos colegas por causa das cãimbras. Fejsa exibe a condição física e lucidez táctica de alguém que precisa de ajuda até para chegar do balneário ao relvado, e mesmo assim permaneceu 90 minutos em campo. Descansa em paz, estimado samurai sérvio.

Samaris

Quase assistiu Seferovic para o golo numa das raras ocasiões em que o Benfica marcou presença na área adversária. Continua a ser dos menos maus quando lhe foi pedido que abandonasse o relvado. Até o Fejsa ficou perplexo.

Gedson

Meia dúzia de momentos muito promissores com bola, em que arrancou decidido com vontade de encontrar um caminho mais rápido para a baliza. Acabou por se tornar uma das curiosidades do jogo. Nos últimos dias falou-se muito de atrevimento para descrever a atitude formidável dos miúdos do Ajax. Gedson pareceu aproximar-se disso em alguns momentos (poucos), mas sempre pouco acompanhado. Ora toda a gente sabe que estes miúdos precisam de sentir que vão juntos para se fazerem homens frente aos maiores. Uma pena que hoje não tenha sido uma dessas noites.

Rafa

Hoje tivemos o privilégio de voltar a ver o Rafa que tem tudo para brilhar no Al Nassr. Faz parte. Na próxima segunda vai ser muito melhor. Pelo menos é aquilo que estou a dizer a mim mesmo desde que o jogo terminou.

João Félix

Recebeu muitas vezes mais recuado e isso parecia conduzir-nos na direcção certa. O Eintracht pareceu ligeiramente adormecido e o jogo do Benfica, ainda que muito tímido, parecia indicar que a qualquer momento uma mudança de velocidade ou aproveitamento de uma desatenção dos adversários diretos de Félix, Gedson ou Seferovic trariam alegrias aos benfiquistas. Só que não.

Seferovic

Nunca tinha escrito este texto deitado em posição fetal enquanto choro. Não recomendo.

Pizzi

Foi importante na fase do jogo conhecida como "espera aí, estamos quase a ir de agulha, e agora?" mas não conseguiu evitar que a equipa transitasse gradualmente para a fase seguinte, vulgarmente denominada "já fomos".

Salvio

Perdeu dois eventos para estar em Frankfurt, e quase valeu a pena. Pena o guarda-redes do Eintracht ter feito uma excelente defesa, caso contrário seria o herói da noite.

Jonas

Numa fase que pedia mais músculo e uma postura destemida que permitisse recuperar a vantagem na eliminatória, Jonas pareceu um pouco desfasado da realidade do jogo, um pouco como se contratassem um especialista em parapente para salvar aquelas crianças tailandesas presas numa gruta. Não é por isso que deixa de ser um dos melhores especialistas em parapente.