Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

O slackline do Sun Tzu de Alverca e alguns recados: ponham-se finos e um digital detox, amigo Salvio (top of the flops, by Um Azar do Kralj)

Vasco Mendonça escolhe os piores dos piores do Benfica de 2018-19 numa análise cuidada, aprofundada, irónica e metafórica que podem ler aqui primeiro

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

NurPhoto

Partilhar

Rui Vitória

O Sun Tzu de Alverca do Ribatejo terminou a época passada com uma revisão em baixa do seu rating por parte da Standard & Poor's e da Casa do Benfica de Grândola, para referir apenas algumas das entidades. Seria sempre uma missão complicada, mas o treinador do Benfica avançou imune às circunstâncias, como um bêbedo que resolve fazer slackline. No caso, boa parte dos mirones desejavam a sua queda. O rating passou a lixo à medida que as exibições pobres se sucediam e os pontos iam ficando pelo caminho. Rui Vitória tentou contrariar a inevitabilidade da sua saída com palavras bonitas e algumas mexidas no onze, mas o melhor que conseguiu foi uma derrota em Portimão. Será recordado por dois títulos nacionais muitíssimo saborosos que nos permitiram chegar ao tetra ou pela pior prestação de sempre na Champions, consoante o momento em que nos lembrarmos dele.

Alfa Semedo

Há jogadores por quem ninguém torce. O brasileiro Ramires foi feliz na sua passagem pelo Benfica mas a primeira entrevista que deu foi a dizer que o maior clube do mundo era apenas um local de passagem a caminho do novo-riquismo londrino. Celebrei as vitórias do Benfica que contaram com a sua presença, mas nunca apreciei especialmente o fulano. Depois há o oposto. Alfa Semedo não é um prodígio e acabou por desapontar, mas eu suspeito que, algures no íntimo deste ser, existe um futebolista capaz de dar segurança defensiva e alegrias ao Benfica, como a que ele deu num golo que nem o próprio saberá exactamente como marcou, numa noite de Champions em Atenas. Não sei se algum dia a vamos descobrir, mas acho que há ali qualquer coisa.

Castillo

Chegou ao Benfica com fama de avançado fisicamente robusto, um jogador raçudo, um brigão com sentido de oportunidade, enfim, um extenso rol de mentiras que nos enfiaram na cabeça quando estávamos de férias no Algarve a ler desportivos. De cada vez que penso no valor da venda de Castillo - entretanto saiu por 7 milhões de euros - lembro-me da história do canadiano que colocou um clip de papel à venda no ebay e foi trocando por artigos melhores até conseguir adquirir uma casa. É preciso ser-se um génio para vender este amontoado de lenha em forma de jogador de futebol por 7 milhões de euros. Se Castillo vale 7 milhões, um Rafa há-de sair por 700.

Ferreyra

As credenciais deste eram indesmentíveis - quase 50 golos em duas épocas às ordens de Paulo Fonseca na Ucrânia - mas o futebol de Ferreyra nunca floresceu nem convenceu. Já perto do final da sua passagem pelo Benfica, foi Lage quem lhe deu uma oportunidade frente ao Rio Ave, mas o argentino voltou a parecer alheado do jogo, o cérebro incapaz de comandar as suas pernas, a alegria de viver completamente evaporada entre as linhas adversárias, uma réstia ínfima de paixão não se sabe por quê ou por quem, porque sempre de olhos postos no infinito em detrimento do colega que conduzia a bola. Deve ter votado PAN.

Taarabt

Pode um flop mais do que confirmado ser um dos maiores flops da temporada? Eu explico. Há muito que Taarabt é visto como um flop indiscutível, um flop tão grande que, se algum dia fosse criado um Comité Central de Flops, as suas reuniões aconteceriam às sextas no Urban e ele seria, evidentemente, um dos membros. Tudo isto até Taarabt conhecer Bruno Lage, milagreiro que o transformou em negação do flop, provocando um estranho misto de nó no cérebro e apreensão que se apodera do leitor sempre que o marroquino entra em campo. Agradeçam mais uma vez a Lage por expandir a vossa experiência sensorial. Taarabt é, também, uma confirmação renovada de que alguns flops mais não são do que histórias com um final feliz à espera de acontecer.

MENÇÕES DESONROSAS

Svilar

Já acreditei muito mais no seu potencial. Acho que a única forma de sabermos se vale alguma coisa é torturá-lo com um empréstimo de uma época ao Tondela, onde começará como suplente, e ver se sai dali um adulto.

Zivkovic

Decidi incluí-lo só para ver se ele abre a pestana. Zivko, eu sei que estás a ler isto. Põe-te fino.

Jota

Idem. Vê lá mas é se renovas.

Salvio

Devias fazer um digital detox, amigo.

Krovinovic

O que é que se passou contigo? Já falei com o Lage e só voltas a jogar quando mudares de penteado.