Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Triste sina de Félix: os seus golos são celebrados por espanhóis os falhanços celebrados por portugueses. Não é para isso que pago impostos

Vasco Mendonça, de Um Azar do Kralj, analisa o momento paradoxal da carreira do menino que deixou o seu Benfica. Esta é a análise, digamos, disruptiva dos jogadores de Portugal contra a Lituânia

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

NurPhoto

Partilhar

Rui Patrício
Mostrou-se sereno e pensativo, talvez ciente da sua posição privilegiada na sociedade. Tivesse a sua ascendência outras coordenadas GPS e Rui Patrício poderia hoje muito bem ser um cidadão lituano chamado Setkus. Sorte a dele, e nossa.

João Cancelo
Interromper um período inicial de adaptação às ideias de Guardiola para passar duas semanas com Fernando Santos é um pouco como alternar entre o veganismo e um arroz de cabidela, tudo opções gastronómicas respeitáveis que ainda assim testarão agressivamente o aparelho digestivo do nosso lateral.

Rúben Dias
Pode ser do meu benfiquismo, mas eu vejo ali laivos de capitão. Já a titularidade indiscutível não tem nada a ver com o meu clubismo. É um dos factos mais incontornáveis desta selecção nos últimos anos.

José Fonte
Teve mais trabalho do que provavelmente esperaria, mas não fraquejou perante o poderio físico do avançado lituano. No final, celebrou com os adeptos portugueses presentes nas bancadas, incluindo todos aqueles que acreditavam poder ver Ferro ao lado de Rúben Dias. É uma questão de aguardarmos pacientemente por 2074, um ano em que, segundo a Pordata e o Goalpoint, se espera que José Fonte venha a falecer.

Raphael Guerreiro
Se eu tivesse que escolher um jogador que, através do futebol praticado, sintetizasse de forma adequada o meu sentimento de profundo desinteresse pelo futebol de selecções nesta fase da época, e não obstante ter sido incumbido de ver o jogo e pronunciar-me sobre o mesmo, escolheria Raphael Guerreiro. Neste sentido há poucos jogadores como ele.

Ruben Neves
Não foi aquele Ruben Neves todo ele pulmão pleno de liderança que conhecemos no Wolves, mas não pareceu afetado pela relativa descaracterização ou diminuição dos seus talentos em prol das ideias do mister Fernando Santos.

William Carvalho
De todas as ideias que Fernando Santos poderia ter acerca desta equipa e de como a tornar mais acutilante, ofensiva ou surpreendente, a colocação de William Carvalho numa zona mais adiantada do campo dificilmente constaria das previsões do adepto comum, a não ser daquele amigo ou familiar irritante que se acha um visionário e gosta de relembrar os poucos que toleram a sua presença que foi ele o primeiro a avisar para a iminência desta situação, apesar de ninguém se recordar do momento em que essa afirmação terá sido feita.

João Félix
Estranha reviravolta na carreira do jovem prodígio. Os seus golos são agora celebrados por espanhóis, enquanto os seus falhanços são maioritariamente celebrados pelos portugueses. Triste sina a deste miúdo cujo talento irrita quase tanto como a insistência dos comentadores da RTP em dizer Félis. Não é para isto que eu pago impostos.

Bruno Fernandes
Hoje resolveu variar e foi um dos piores em campo.

Bernardo Silva
Todos caímos neste erro. Sempre que tentamos ser superlativos em relação ao talento de um dactilógrafo qualquer, dizemos que é o "Cristiano Ronaldo" da respectiva esfera de competências. Tenho para mim que é um paralelismo injusto ou até perigoso. Já conheci alguns Cristianos Ronaldos em diferentes áreas e, não negando os seus méritos, sinto falta de mais Bernardos. Eu quero conhecer o Bernardo Silva dos técnicos oficiais de contas, o Bernardo Silva dos auxiliares de acção educativa, quero tratar a minha sinusite com o Bernardo Silva dos otorrinolaringologistas, quero discutir a compressão espácio-temporal com o Bernardo Silva das ciências sociais, e gostaria muito de poder ser considerado o Bernardo Silva dos fãs de Bernardo Silva, apesar de me faltar semelhante capacidade de pensar, decidir, executar e vencer. Estudasse.

Cristiano Ronaldo
Os visitados bem tentaram acrescentar um grau de dificuldade à tarefa de Cristiano Ronaldo, mas nem um relvado sintético em Vilnius foi capaz de parar o melhor do mundo. Para a próxima tentem um campo de gravilha com meia dúzia de minas escondidas e um processo por evasão fiscal à saída do meio-campo.

Rafa
Numa cidade em que só é feliz quem lá foi para uma despedida de solteiro, Rafa soube encontrar outras formas de diversão nocturna, acelerando o ritmo do jogo e ajudando a equipa a evitar um tipo de vergonha habitualmente reservado a quem bebeu demasiado numa despedida de solteiro em Vilnius.

Gonçalo Guedes
É muito importante que se mantenha neste grupo e continue a ser acarinhado por Fernando Santos, visto ser ele o atleta em melhores condições de, em plena final do próximo Europeu, pegar na bola a meio campo, baixar a cabeça de forma pouco sensata e continuar a correr até desferir um remate extraordinariamente optimista a 40 metros da baliza que vai parar não no fundo da baliza mas antes no fundo da garrafa de Veuve Cliquot La Grande Dame 2008 que eu tenciono mandar abaixo nessa noite.

Pizzi
Pouco tempo em campo, mas o suficiente para ser o melhor dos centrocampistas que beijam os dois pulsos quando entram ou saem do relvado.