Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Um Azar do Kralj congratula-se pelo jogo responsável de Rúben Dias que mesmo nos momentos mais intensos evitou agarrar rivais pelo pescoço

Desde jogo frente ao V. Setúbal, Vasco Mendonça destaca ainda os 45 minutos competentes de Fejsa a cobrir e até a ajudar no ataque, tudo isto sem se perder uma única peça ou parafuso que fosse. Uma inspiração para a população sénior deste país

Vasco Mendonça

NurPhoto/Getty

Partilhar

Vlachodimos

Esteve quase sempre bem, mas revelou desatenção num lance aos 83 minutos em que não se apercebeu da presença de Tiago Martins na área. Felizmente apressou a marcação do pontapé de baliza, caso contrário teria sido o próprio árbitro a marcar o golo do empate.

André Almeida

Começo a achar que estas saídas de jogadores com queixas são parte de um compromisso comercial com o Hospital da Luz. Isso ou descobrimos que o departamento clínico do Benfica é liderado em part-time por um empregado de limpeza.

Rúben Dias

Apesar da agressividade que por vezes lhe é reconhecida e de alguns lances mais exigentes, Rúben Dias mostrou-se atento e responsável mesmo em momentos mais intensos, evitando a todo o custo agarrar os opositores pelo pescoço. Um exemplo a considerar.

Ferro

Ajudou a construir mais ataques do que o Pizzi, e só não fez mais porque em alguns desses casos passou a bola ao Pizzi.

Grimaldo

Até o meu filho de 2 anos já sabe que não é boa ideia deslocar-se a passo para a marcação de um canto quando o resultado na Luz está em 0-0 e ainda não conseguimos fazer um remate de jeito. É uma daquelas travadinhas à Grimaldo.

Fejsa

45 minutos competentes a cobrir e até a ajudar no ataque, tudo isto sem se perder uma única peça ou parafuso que fosse. Uma inspiração para a população sénior deste país.

Taarabt

Mais uma exibição a encher o relvado. Faltam-lhe 40 jogos completos para podermos dizer que passou mais tempo no relvado do que no Urban, mas Adel vai mantendo a obstinação, não obstante o invisual que entendeu puni-lo por excesso dessa qualidade. Começa agora uma fase complicada, cerca de 3 semanas com pouco ou nenhum futebol a sério e demasiado tempo livre, circunstâncias que testarão não apenas a sua obstinação mas também a sua abstinência.

Pizzi

Nestas últimas semanas tem-se apresentado como o RdT dos centrocampistas. Já nos chega um, Luís Miguel.

Rafa

Uma assistência para golo, um pénalti por assinalar e um vermelho por mostrar. À falta de melhor circulação de bola ou de colegas mais inspirados, Rafa continua a exibir a melhor combinação de coração, cabeça, pernas e, não menos importante, testículos, que parecem faltar a este Benfica 2019/2020. Com tanta gente competente na estrutura, querem ver que não há no Seixal um especialista em tomates?

Gedson

Já interpretou mais papéis no onze do Benfica do que Al Pacino em toda a sua carreira. Hoje Lage pediu-lhe que se comportasse como uma espécie de segundo avançado. Não é de esperar que o nome Gedson Fernandes apareça nas bolsas de apostas para os Oscars.

Seferovic

Suíço que nasce torto tarde ou nunca se endireita. Água mole em pedra dura por vezes leva-nos à loucura. Grão a grão morremos à fome. A esperança é a primeira a ser substituída. Em terra de cego quem tem um olho também vê mal. De boas intenções está a grande área cheia. A cavalo dado é preciso ver se tem prémio de assinatura.

Gabriel

Os seus pés são um discurso motivacional. A entrada de Gabriel em campo tem o condão de nos fazer acreditar um pouco mais em Bruno Lage, nos jogadores comandados por Bruno Lage, e até no futuro do planeta. Vá lá, mais do que tenho acreditado esta época, que não é tanto quanto gostaria. Acho que o próprio Lage acredita mais no seu valor quando vê o brasileiro em campo. Há qualquer coisa naquelas variações de flanco que nos diz que vai correr tudo bem, desde que não ignoremos as alterações climáticas e a necessidade de melhores portadores e passadores no centro do terreno.

Vinicius

Depois de algumas semanas a ouvir cantilenas sobre jogadores associativos, avançados trabalhadores e pontas de lança muito bons a defender, foi refrescante ver um gajo demorar poucos minutos até realizar a principal tarefa para a qual foi contratado. Vinicius regressou de uma lesão, apresentou-se sem ritmo e quase sem minutos em campo com os novos colegas, mas ainda assim decidiu o jogo. Afinal não é assim tão difícil, pensei eu. Quanto ao jogador, correu na direcção de uma câmara, cruzou os braços e olhou com o ar confiante de quem diz na terceira pessoa "O Vinicius chegou". Já eu ouvi "O Sport Lisboa e Benfica deseja as maiores felicidades a Raul de Tomas no seu próximo desafio profissional".

Tomás Tavares

Aquele ar relaxadão ainda não inspira a confiança necessária quando se vence por 1-0 em casa e jogamos contra 12. Sofremos a bom sofrer durante 15 minutos.