Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

A exibição inspiradora de Taarabt, por Um Azar do Kralj: foi mais uma mensagem de esperança para todos os vencidos da vida

O Benfica venceu o Belenenses SAD, por 3-2, na 19ª jornada da Liga, mas Vasco Mendonça não está totalmente satisfeito: "Foi simultaneamente assustador e bonito ver a passividade da nossa equipa enquanto Odysseas dizia “F***-SE, CALMA!” Não conheço em detalhe os critérios para obtenção de nacionalidade portuguesa, mas para mim está feito"

Vasco Mendonça (Um Azar do Kralj)

NurPhoto

Partilhar

Odysseas

Temos mais um grego que sabe falar português. Depois de quase 90 minutos a evitar todos os percalços que lhe puseram à frente, foi simultaneamente assustador e bonito ver a passividade da nossa equipa enquanto Odysseas dizia “F***-SE, CALMA!” Não conheço em detalhe os critérios para obtenção de nacionalidade portuguesa, mas para mim está feito.

André Almeida

Foi pelo flanco dele que aconteceram algumas das incursões mais perigosas do clube virtual defrontado pelo Benfica, mas não é isso que me mais apoquenta. Interessa-me mais saber se daqui a uns meses, quando a Netflix fizer o documentário sobre a vida do Taarabt e se falar do seu primeiro golo ao serviço do Benfica, irão falar do homem que tornou isso possível ao encontrar o marroquino na entrada da pequena área?

Rúben Dias

Esta aguardente velha não me permite precisar, mas eu sei bem o que vi: um desarme monumental, creio que ainda durante a primeira parte, tão bem feito e tão oportuno que deu pena ver o tipo do B SAD sem saber exactamente o que fazer com o seu corpo depois de se ver privado do esférico. Desengane-se no entanto quem acha que a intervenção de Rúben Dias no terceiro golo foi mais um passe vertical executado de forma exímia. Pareceu-me sim uma tentativa de afastar a bola de Ferro tanto quanto possível. Seja o que for resultou.

Ferro

De pouco valeram os gritos de Rúben Dias para o banco pedindo assistência médica, primeiro, depois uma maca, e finalmente a intervenção das autoridades policiais de forma a retirar Ferro do relvado. O jovem central manteve-se impávido e sereno, perdão, aterrorizante, algures entre o centro da nossa defesa e as profundezas do inferno, conseguindo o terceiro autogolo da equipa esta temporada, o segundo da sua autoria. Ferro parece hoje possuído pelo espírito de Tahar el Khalej. Chamem o Nhaga, o Alexandrino ou então o Jardel. Decidam vocês.

Grimaldo

Não fez o melhor dos jogos, mas continua a deixar-me perplexo que ao fim de oito janelas de transferências Grimaldo continue connosco. Sinto-me grato, pelo futebol que ele nos tem dado e por não ter que levar com capas de desportivos a dizer que o Ansaldi está por horas.

Weigl

Ao fim de 4 jogos multiplicam-se as análises que põem em causa o valor de Weigl, apesar de o rapaz quase não cometer erros. Só vejo um problema nisto: o corpo humano não está preparado para engolir um sapo tão grande como o que se avizinha.

Taarabt

Três desarmes, oito recuperações, um slalom sem o qual não teríamos inaugurado o marcador e um golo que valeu por muitos, a terminar em beleza o mais longo ramadão. Foi mais uma mensagem de esperança para todos os vencidos da vida. No final confessou que Rui Costa o avisou que iria marcar hoje. Fez bem em não acrescentar que o Rui disse isto nos últimos oito jogos. Era hoje que tinha de ser e não há mais conversa. Façamos tudo o que estiver ao nosso alcance para impedir que a realidade estrague uma história linda como esta. E agora, sem mais demoras:

Pizzi

O maestro compareceu mas a batuta parecia sofrer de disfunção eréctil. Melhores noites virão.

Cervi

“Escolhe um trabalho de que gostes e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.”

- um guru qualquer

“Escolhe um trabalho de que gostes, baixa a bolinha e trabalha até caíres para o lado. Repete tudo no dia seguinte e assim sucessivamente, até alguém te passar uma lata de Sagres para a mão."

- Cervi

Rafa

Não só não marcou como ainda fez um penálti. É evidente que esta micro-crise exibicional terminará no Dragão quando Rafa assistir Seferovic para o 1-3 e pedir ao suíço para se levantar e regressar ao nosso meio-campo porque queremos golear.

Vinicius

Fundamental. Voltou a faturar, tanto a marcar como a assistir. Excelente combinação com a trave no lance do primeiro golo, como se se conhecessem desde sempre. Não me admiraria se vendêssemos aquela baliza ao Espanyol por 40 milhões de euros.

Gabriel

E daquela vez que meia dúzia de nós disseram que o Lage devia sentar o Gabriel? Fogo, éramos mesmo burros nesse tempo. Pelo menos foi isso que pareceu durante alguns minutos.

Chiquinho

Mais um que volta a encontrar o caminho da baliza. É frequente dizermos que Chiquinho não tem golo, quase tão frequente como acharmos que feito o 3-1 num jogo na Luz podemos finalmente descansar. Chiquinho celebrou fazendo uma pose zen como que aconselhando calma aos presentes, mas alguns dos colegas nunca tinham tentado meditar e acabariam por adormecer. Mindfulness o tanas. É preciso cuidado com estas manias new age.

Seferovic

Não me interpretem mal, mas será que ofereceram mesmo 25 milhões e nós recusámos?

Quem precisa de reforços quando tem Adel Taarabt?

No dia em que o mercado de inverno encerra (e em que o Benfica assegurou Dyego Sousa), depois de uma 1ª parte pouco conseguida, em que Taarabt foi o único a brilhar, a equipa de Bruno Lage colocou-se em vantagem, com dois golos, mas o Belenenses SAD ainda complicou as contas na Luz, reduzindo e reentrando na discussão do resultado até ao final (3-2)