Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Rúben Dias: Centralão, médio ofensivo e agressor. Merecia a expulsão, mas tem desculpa: achava que Raúl Silva era Ferro (Um Azar do Kralj)

Aqui está a análise a uma exibição "sólida e consistente" - palavras de Lage - dos jogadores do Benfica no jogo contra o Braga, que acabou como se sabe

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

PATRICIA DE MELO MOREIRA

Partilhar

Vlachodimos

Felizmente fizemos uma boa exibição, sólida e consistente, caso contrário o Vlachodimos teria tido uma noite cheia de trabalho.

Tomás Tavares

Começa a fazer progressos interessantes. Mais alguns jogos e espera-se que consiga fazer um cruzamento. Hoje aperfeiçoou o passe para trás, que já executa com mestria.

Rúben Dias

Centralão, centrocampista, coadjuvante de Adel, médio ofensivo e agressor. Fez de tudo um pouco e de nada serviu. Devia ter sido expulso logo após o golo do Braga, mas tem desculpa. A raiva toldou-lhe a visão e o Ruben achou que estava a agredir o Ferro.

Ferro

A coisa até estava a correr melhor, pelo menos até o Braga aproveitar mais uma desatenção sua. Se Bruno Lage não o tirar do onze, sugiro que Weigl e Rúben Dias vejam o clássico “Fim de semana com o morto” e estudem a melhor forma de movimentar o corpo de Ferro por forma a que este pareça continuar entre nós.

Grimaldo

Felizmente o Trincão só jogou meia hora, o que permitiu a Grimaldo evitar ser alvo de maior chacota no grupo de WhatsApp da cantera do Barcelona.

Weigl

Ontem justificou plenamente o valor que pagámos por ele. O valor da primeira tranche. Estou a brincar, eu gosto do rapaz. Não me interpretem mal. Perdemos e acabou-se o whisky cá em casa. Não podem esperar que eu seja capaz de escrever isto. A culpa não é tua, Julian. Se bem que ajudava passares a bola para a frente mais vezes. Achas que consegues?

Taarabt

Disse na flash interview que o golo do Braga matou a equipa mentalmente, e foi mais ou menos isso que se viu ao longo da segunda parte. Adel foi o maior resistente, ele e o Rúben Dias, talvez os únicos que pareceram acreditar na reviravolta, para além de uns quantos ingénuos não bancada. Foi desaparecendo à medida que adoptámos o 4-3-3 chuveirinho que tantas alegrias nos tem dado. Percebe-se.

Pizzi

A prova de que o Braga jogou como um grande é que praticamente não houve Pizzi. Alguns adeptos insistiram que se tratava de uma lesão, como se fosse impossível o Pizzi fazer uma exibição desinspirada. Com o passar do tempo percebemos que ele estava fisicamente apto.

Cervi

O excesso de solidariedade e a qualidade do adversário fizeram com que se preocupasse mais em salvar a vida do Grimaldo do que em atacar. Proporcionou a primeira ronda de assobios da noite a dia hora do final, o que catapultou a equipa para a vitória. Estamos todos de parabéns!

Rafa

És tu, Salvio?

Vinicius

A malta que se apressou a fazer uma t-shirt alusiva à ida ao Jamor pode aproveitar este jogo para lançar uma nova peça com a legenda “No Vini no Party”. Aposto que vai vender bem junto do target masoquista.

Seferovic

O melhor marcador da época passada entrou para fazer cruzamentos. Divirtam-se com este nó no cérebro.

Chiquinho

Não duvido das boas intenções, mas naquele contexto foi como combater um incêndio com um recital de poesia.

Dyego Souza

Fugir ao coronavírus para acabar como terceiro avançado num esquema tático que nem o treinador parece compreender. Mais valia ter ficado na China.