Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Um Azar do Kralj lembra que o Benfica ainda não venceu um jogo em que Rúben Dias tivesse usado uma bandolete

Continuando em temas capilares, Vasco Mendonça, que depois do empate do Benfica com o Portimonense está com uma certa vontade de voltar a fumar, dá também um toque a Gabriel, recordando o médio que os barbeiros já abriram

Gualter Fatia/Getty

Partilhar

Vlachodimos

Estive a contar e faço isto há mais de 4 anos. Deixei de fumar há quase 3. Hoje é a primeira vez em que sinto que preciso de bagaço e de um cigarro para chegar ao fim do texto. Ainda por cima uma luminária qualquer lembrou-se de acrescentar aos regulamentos a possibilidade de mais duas substituições. Não sei se consigo chegar ao fim.

André Almeida

Assim que ele marcou o segundo golo dei por mim com uma sensação estranha no corpo. Os meus membros queriam celebrar o passaporte para a vitória, mas o meu cérebro intercedeu a tempo de evitar uma reacção demasiado efusiva. Nunca imaginei que um dia viesse a elogiar o meu cérebro num texto lido por milhares de pessoas, mas aqui estamos nós.

Ruben Dias

Poucos terão reparado nisto, mas o Benfica ainda não venceu um jogo em que o Rúben Dias tivesse usado uma bandolete. Por outro lado, também ninguém se lembra de uma vitória nossa em que o Rúben Dias não tenha usado bandolete.

Jardel

A morte, os impostos e uma lesão do Jardel quando ele parece estar a agarrar o lugar. Certinho como o destino.

Grimaldo

Chorámos todos, amigo. Tu da lesão na perna, eu da perturbação ocular e emocional provocada por aquela segunda parte. Vamos ver qual de nós recupera primeiro.

Weigl

Voltou a ser um dos mais abnegados e competentes, mas só se livrará do estatuto de talismã ao contrário quando a equipa conseguir uma série de 10 vitórias consecutivas. Sentem-se. Pode demorar.

Taarabt

Por este andar vai regressar ao álcool. Quem somos nós para o censurar?

Pizzi, Cervi, Rafa, Vinicius

Pela primeira vez desde que escrevo estas análises individuais vi-me obrigado a juntar quatro atletas, porque juntos não fizeram um. O Pizzi disfarçou com um golo de pé esquerdo, mas acabaria por se juntar ao resto da pandilha numa 2ª parte para mais tarde recordar. Bateu um novo recorde de perdas de bola - 22 - estatística que será agora submetida ao Livro do Guinness. Nota-se que isto hoje não teve piada nenhuma, não é?

Ferro

Muito gente procurou romanticizar o período de confinamento, elaborando teses várias sobre este fabuloso momento de descoberta, reflexão e reinvenção que o destino nos providenciara. No entanto, nem toda a gente foi na conversa. Houve quem, apesar do tempo para reflectir e do salário pago na íntegra, regressasse pior. Embrulhem, optimistas.

Nuno Tavares

Uma exibição menos feliz frente ao FCP levou Bruno Lage a transformá-lo em pisa-papéis, mas regressou hoje em força para relançar o eterno debate sobre qual é o melhor dos Tavares. Eu continuo a defender que é o do século passado.

Gabriel

Alguém lhe devia dizer que os barbeiros já reabriram.

Seferovic

Será que este também fez tudo o que lhe pediram, como diz o André Almeida? Não acredito. Não acredito que alguém lhe dissesse para, deliberadamente, fazer tão pouco. Enfim. Achou que vou ali ver o mar.

Dyego Sousa

Que privilégio poder contribuir para este momento único na vida do clube, nomeadamente a primeira série de 5 empates consecutivos na nossa história. Parabéns a todos os envolvidos.