Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Vinícius pensou: o Sporting vai ficar em quarto e são estas pequenas coisas que nos vão dando força para continuar (Um Azar do Kralj)

Vasco Mendonça escreve sobre o Benfica 2-1 Sporting na perspetiva do adepto encarnado que viu o Zizou da Luz a oferecer toda a honra e toda a glória a Vinícius - e que também previu o futuro, numa sala de imprensa

Vasco Mendonça (Um Azar do Kralj)

PATRICIA DE MELO MOREIRA

Partilhar

Vlachodimos

Tranquilíssimo entre os postes e sempre disponível para participar na fase de construção, mesmo que às vezes tenha atirado uns tijolos para bancada. Vlachodimos respira segurança e parece pronto para um novo ciclo desportivo com Jorge Jesus. A fase inicial já arrancou: desvalorizar Vlachodimos publicamente com uma notícia estapafúrdia sobre a necessidade de um reforço na baliza. Seguir-se-á o anúncio da contratação de um novo craque, apenas para descobrirmos que tem uma perna mais comprida do que a outra e é afinal defesa central. Faz tudo parte de um plano para espicaçar e daqui a 10 meses elogiarmos o nosso Vlacho numa rotunda de Lisboa. Só falta mesmo o Cavani e uma vacina para a Covid.

André Almeida

Se fosse scout, teria aproveitado a noite de ontem para escrever maravilhas sobre Nuno Mendes. Tratando-se do lateral direito que teve o jovem do Sporting pela frente, talvez não tenha sido uma noite tão agradável para André Almeida. Para nós certamente não foi.

Jardel

Desengane-se quem acha que isto foi a despedida de Jardel do relvado da Luz. Um futebolista que tanto deu ao Benfica não pode incluir na sua festa de despedida um pontapé na atmosfera que quase deu golo do Sporting ou uma desmarcação nas costas de um avançado esloveno de vão de escada. Venha daí outro adversário. Precisamos de uma noite à antiga, sem golos sofridos, com a cabeça de Jardel aberta e uma final de jogo apoteótico com aquela touca mítica na cabeça.

Rúben Dias

Bela assistência para golo na sua provável despedida da Luz. Prosseguirá a carreira num qualquer gigante europeu, em paz consigo mesmo, sabendo que tudo fez para ajudar o Benfica, a partir de agora um homem livre de usar bandolete quando e onde bem entender.

Tomás Tavares

Opção maquiavélica de Veríssimo, que assim mostrou ser capaz de ganhar ao Sporting até com um miúdo de 18 anos a jogar na posição errada. Não sei é se o Nuno Tavares achou muita piada. É que chegou a correr bem demais.

Weigl

Seguro defensivamente e articulado na construção ofensiva, o suficiente para não ser dispensado por Jorge Jesus antes do primeiro jogo treino com o Neuchatel Xamax num sintético de Tróia. Continua com cara de poucos amigos, infelizmente para o Jovane, que levou com uma bolada na cabeça logo no primeiro minuto, ainda o Sporting se encontrava confortavelmente no terceiro lugar.

Gabriel

Faz lembrar aquela história do adepto que vai a pé para uma final da Taça no Jamor. Qual adepto, perguntam vocês. Sinceramente. não sei. Quis apenas imaginar alguém que se dirige a passo para outro local onde teoricamente precisa de estar. No fundo, o que Gabriel faz em muitos jogos.

Cervi

Consigo imaginar Jorge Jesus numa sala de imprensa, bem humorado e cheio de si, com a bazófia que todos aprendemos a amar/odiar, explicar que o Cervi não Cerve, amigues. Próxima qchtão, fáxavôr.

Pizzi

Outro tipo de jogador ter-se-ia colocado no olho do furacão, mas não o altruísta e sensato Luís Miguel. Em boa hora livrou-se dos debates sobre como é possível que um centrocampista amplamente criticado seja o melhor marcador do campeonato. Toma lá a bola, Vinicius. Não se fala mais nisso. É assim Luís Miguel, um homem que vive bem sem as menções destinadas aos protagonistas, um altruísta controverso com participação directa em 41% dos golos da equipa. O nosso Zizou. Veremos se p’ro ano há mais.

Chiquinho

Desde que vi uma selfie dele com um buldogue francês publicada no instagram no mesmo dia em que o FCP foi confirmado campeão que estou convencido da necessidade urgente de um código de conduta para as redes sociais que limite a actuação dos jogadores - e, já agora, que obrigue os jogadores a marcarem golos quando só têm o guarda redes pela frente. Francisco, bem sei que estás a guardá-los para a final da Taça, mas não convém exagerar.

Seferovic

Um dos responsáveis pelo melhor momento do Benfica no jogo, sempre em cima dos nossos amigos, que insistiam em saídas a jogar como se fossem o Bayern ou o Liverpool e nos devolviam a posse de bola um lance após o outro. Marcou e podia ter assistido mais do que uma vez, mas a bola teimava em não entrar.

Florentino

Há quem procure um ombro amigo. Há quem busque conforto nos indicadores económicos. Há quem procure ajuda divina. Eu olho para o relvado e vejo se lá está o Florentino. Se assim for, sei que é mais provável ficar tudo bem.

Rafa

Entrou com aquele apetite próprio de quem sabe que todos os dias são bons para ganhar ao Sporting. Da última vez fê-lo com um golo nos últimos minutos. Ontem ajudou a moer a defesa adversária até esta soçobrar, ao ponto de o Ruben Amorim ter vindo à sala de imprensa dizer que está muito feliz no Sporting. Lol. Boa tentativa, amigo.

Jota

De volta ao seu papel natural. 19 jogos, 176 minutos. Outros clubes fariam disto uma extraordinária aposta na formação. Já nós questionamos se isto é a sério ou se alguém tira prazer do embaraço causado a este miúdo. Só não foi mais humilhante porque em campo estava um adversário que pagou 15 milhões por um treinador ao Braga e conseguiu acabar atrás deles. Quando assim é, a pessoa acaba por passar despercebida.

Vinicius

Brilhante antes, durante e depois do golo marcado. Antes, ao observar estrategicamente o pé do Matheus Nunes; durante, ao rematar de forma colocada; e depois, juntando ao habitual cruzar dos braços um dedo em riste a apontar para o centro do terreno, que é como quem diz, o VAR esteve a confirmar e o Sporting vai mesmo ficar em quarto. Não é nenhum título e até parece mal, mas são estas pequenas coisas que ainda assim nos vão dando força para continuar.