Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Rúben: vivemos tempos bons, maus, alguns estúpidos e houve o episódio com a bandolete, mas jogaste para tornar o Benfica maior

Vasco Mendonça, de Um Azar do Kralj, despede-se de Rúben Dias a quem pede para marcar ao PAOK caso o City o encontre no futuro. Mas há mais

Quality Sport Images

Partilhar

Vlachodimos
Um outro tipo de profissional teria virado a cara ao desafio, mas não Vlachodimos, que se entregou de imediato a tarefa de tirar fotografias do último jogo de Rúben para mais tarde atualizar as suas redes sociais. Desengane-se quem pensa que o corpo arrefece enquanto se procura a melhor foto. São momentos de grande tensão à procura do melhor momento para o tiktok.

André Almeida
Já não lhe via cruzamentos teleguiados como os de ontem desde os seus tempos da parceria com o Jonas. Ou muito me engano ou vamos ver o Darwin engraxar aquelas botinhas.

Rúben Dias
Grande Rúben: vivemos tempos bons, tempos maus, alguns tempos estúpidos e houve ainda aquele episódio com a bandolete, que felizmente já esquecemos. Para mim foste sempre alguém que percebeu o que estava em jogo. Mais do que jogar para estar à altura do Benfica, jogaste para tornar o Benfica maior. Não é uma tarefa fácil, porque o Benfica já é a enormidade que ambos conhecemos. Fizeste também o que estava ao teu alcance para ser o seu capitão. É uma tarefa ainda mais difícil, porque o Almeidinhos não sai do onze nem que a vaca tussa. É um dia triste que todos sabíamos que acabaria por chegar. Só não esperávamos que fosse hoje. Enfim. Espero que o City jogue contra o PAOK na Champions e que os gregos sejam passados a ferro. Se por acaso marcares, corre na direção da câmara e vem celebrar a vingança com os teus.

Vertonghen
À medida que o rolo compressor vai sendo afinado, Vertonghen vai percebendo que a sua responsabilidade será essencialmente a de um caseiro que vai podando as plantas, mantendo a piscina limpa e colocando a bola entre linhas enquanto os proprietários passam a semana na cidade a dizimar adversários. Fez uma exibição segura, digna do caseiro mais bem pago do mundo.

Grimaldo
Pão na mesa, algumas poupanças para quando a moratória se acabar, um central ao seu lado que não treme que nem varas verdes, um colega de flanco que recupera quase tantas bolas como ele e o acompanha nas danças de salão lá na frente. Grimaldo parece ter encontrado a sua versão do amor e uma cabana. E nós também.

Gabriel
Gosto muito desta versão trabalhadora do Gabriel. Ontem houve momentos brilhantes de talento e abnegação a fazer lembrar o empregado de restaurante que leva todos os pratos e bandejas empilhados num braço enquanto aceita o pedido da mesa ao lado. Todos sabemos que vai deixar um prato ou um copo pelo caminho, mas enquanto for assim ninguém lhe vai levar a mal.

Pizzi
Participação ativa no festival de golos falhados. Nem todos lidariam bem com a transição de protagonista para ator com 3 falas, mas Pizzi parece estar confortável. Isso ou está a caminho do Wolves.

Rafa
Ontem quando vi aquela barba devidamente aparada, pensei logo que teria sido Jorge Jesus a fazê-la à chapada. E ainda bem. Perdeu-se um hipster, ganhou-se um futebolista frenético capaz de fazer mais piscinas do que o Michael Phelps.

Everton
Ontem li um texto do Valdano (Deus) sobre o Odegaard em que este explica: “a bola, que percebe muito de futebol” vai ter com o norueguês onde este estiver. É precisamente o que acontece com o Everton. A bola entrou no relvado, olhou para todos os indivíduos e fez a sua escolha. Decidiu que quer estar aninhada junto aos pés do Everton. É aproveitar enquanto podemos.

Waldschmidt
A clássica tepidez alemã na cara do golo. Estou a meter-me contigo, Waldcenas. Deixa-os pousar. Vai correr tudo bem.

Darwin
A nossa capacidade enquanto adeptos de vivermos tudo outra vez e voltarmos a acreditar é uma coisa extraordinária, para lá de qualquer domínio da racionalidade. Imaginem que amanhã o Seferovic entrava em campo com um carrapito inexplicável, desatava a correr e falhava golo atrás de golo. Mesmo com o estádio vazio, arranjaríamos forma de lhe fazer chegar o insulto. Já com Darwin, que ainda agora chegou, cada falhanço é celebrado como a promessa de um dia melhor, mero formalismo antes do êxtase, antecâmara de um hat-trick contra o Farense e de um inevitável poker contra o Rio Ave. Ainda não estou preparado para aceitar que fizemos bem em gastar 24 milhões num avançado da 2ª divisão espanhola, mas, lá está, quero muito que esse dia chegue.

Seferovic

A minha esposa
- Que música é essa?
Eu
- Qual?
- Essa que estás a assobiar.
- Nenhuma, porquê?
- Eu conheço isso.
- Deixa-me ver o jogo.
- Já sei! É aquela da Alanis Morrisette.
(silêncio)
- Porque é que estás a assobiar Alanis Morrisette enquanto vês o Benfica?
- Posso continuar a ver o jogo? Já te expliquei que estou a trabalhar…

Chiquinho
Competente no papel de suplente de luxo.

Nuno Tavares
Parece ser o único jogador da formação em condições de ter alguns minutos em campo. Será que o Jesus se enganou e acha que ele veio do Corinthians Alagoano?

Pedrinho
Está a 3 jogos como suplente utilizado de pedir ao empresário para dar umas entrevistas a questionar as ideias do treinador. Que Deus o proteja.

Weigl
Sim, ok, mas, e o Florentino?