Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Rúben Dias foi frio, certeiro, oportuno e absolutamente decisivo. Está agora a 105 golos de Ali Daei e a festa continua em Teerão

Aqui está a análise humorística de Vasco Mendonça de Um Azar do Kralj à prestação da Seleção no jogo contra a Croácia. O destaque óbvio vai para o antigo jogador do Benfica, mas o autor deixa também alguns avisos a Nélson Semedo e a Trincão: tenham cuidado, que jogar bonitinho não é o que um determinado selecionador gosta

Vasco Mendonça (Um Azar do Kralj)

Aqui está o novo goleador de Portugal

PEDJA MILOSAVLJEVIC

Partilhar

Rui Patrício
Fui ali espreitar o calendário de jogos da seleção e aparentemente só volto a escrever sobre o tema daqui a muitos meses. Acho que é o melhor para todos.

Nelson Semedo
Um ou dois soluços na defesa e algumas tentativas de jogar bonitinho que são inadmissíveis nesta seleção. Que não volte a tentar embelezar as suas intervenções no jogo.

Ruben Semedo
Uma pessoa à espera que o homem se imponha de forma autoritária e ele acaba por borrar a pintura com a ansiedade dos principiantes. Há que rever e melhorar. O meu Ruben Semedo favorito dispara primeiro e faz as perguntas depois.

Ruben Dias
Uma máquina. Frio nos momentos cruciais, certeiro, oportuno, e absolutamente decisivo. Está agora a 105 golos de Ali Daei.

Mário Rui
Pois é. Contra Andorra parecias uma andorinha na primavera, mas ontem pareceste um canário com a cabeça presa no bebedouro.

João Moutinho
É uma espécie de DHL do futebol da selecção. Com ele sabemos sempre onde está a bola, para onde se dirige e a que horas deverá chegar ao seu destino. Só lhe falta pedir aquele gatafunho no terminal de cada vez que faz a bola chegar aos colegas.

Danilo
Aproveitei as intervenções dele, lentas e excessivamente contemplativas, para ir acompanhando um Tsitsipas - Rublev. Faço um balanço positivo.

Bruno Fernandes
Jogo atípico. Está mais habituado a repreender os centrais colegas de equipa do que a aplaudir os seus golos decisivos. Os seus passes verticais denotaram, tal como eu na vida, a fadiga e o deserto de ideias de quem já não pode ver mais seleção à frente.

Diogo Jota
Muito bem a aproveitar a ausência do VAR para assistir João Félix.

João Félix
Teve uma daquelas noites em que os haters podiam ter facilmente questionado o seu valor, o dinheiro que o Atlético Madrid pagou por ele, os tweets da namorada e sei lá mais o quê. Felizmente marcou um dos golos que deu a vitória. Ufa!

Cristiano Ronaldo
Mais uma noite de festa em Teerão.

Bernardo Silva
Tentou marcar da forma mais rocambolesca possível, evitando a class que o caracteriza. Infelizmente o recurso ao jogo feio levou a bola a passar por cima da trave. Fernando Santos aplaudiu o esforço no final do jogo e disse a Bernardo que é este o espírito.

Trincão
Soube virar um jogo tremido a favor de Portugal, recorrendo a um futebol que Fernando Santos só poderá qualificar como feio e que por isso nos coloca numa encruzilhada: fazer o que este treinador preconiza ou ignorá-lo por completo rumo a mais títulos?

João Cancelo
Este comentador da Eurosport tem partilhado algumas estatísticas interessantes.

Paulinho
Por exemplo, o Tsitsipas não ganhava um tie break há algum tempo. Esta vitória pode muito bem vir a dar-lhe confiança contra o Nadal, que não gosta desta superfície rápida e nunca ganhou aqui. Apesar de uma entrada muito autoritária contra o Rublev, acabou a piar fininho contra o Thiem. Veremos como corre a última jornada. Grande partida em perspectiva.

Sérgio Oliveira
Sinceramente esperava mais do Rublev neste torneio. Bem sei que ainda é novo, mas jogou muito em Viena e estava a fazer a melhor época no pós-covid. Parece-me que acusou a pressão. Muito longe do ténis que é capaz de jogar, mas ainda se vai fazer.