Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Nos últimos jogos, Um Azar do Kralj tem visto Waldschmidt encostado num canto a tirar pétalas de uma flor enquanto contém as lágrimas

Depois do Benfica - V. Guimarães para a Taça da Liga, aí está mais uma análise mordaz de Vasco Mendonça, que esperava, pela nacionalidade do avançado, que Waldschmidt fosse frio, racional e metódico à frente da baliza ou nas suas imediações. Só que não

Vasco Mendonça (Um Azar do Kralj)

Quality Sport Images/Getty

Partilhar

Helton

Devia ter trocado de camisola com o Noah no final do jogo. Às páginas tantas confundi-o com o Vlachodimos, mas nem o grego joga tão mal com os pés.

João Ferreira

Porque é que nos continuam a fazer isto? João Ferreira tem tantas condições para ser o futuro lateral direito do Benfica como eu tenho para ser campeão de cliff diving, na medida em que ele sabe calçar umas chuteiras e acertar num objeto esférico, e eu sei nadar.

Jardel

Uma perda de bola à meia hora de jogo quase provocou o 0-2 e fez com que desligasse a televisão. Às vezes penso se teria sido melhor assim.

Vertonghen

Deve estar a chegar a qualquer momento para marcar o Estupiñán. Tirando essa desatenção num lance decisivo, esteve sóbrio. A realização gosta de o filmar após lances mais perigosos. A cara dele parece sempre igual à minha. Estamos ambos a tentar perceber como é que viemos aqui parar.

Nuno Tavares

Não é para todos. É preciso um gosto educado e uma certa forma de ver e sentir o mundo para apreciar este jogador. Se tivesse que identificar um termo de comparação, diria que Nuno Tavares é uma versão futebolística de BDSM. Há quem retire prazer do sadomasoquismo, apesar de a maioria de nós não compreender exactamente como nem porquê.

Weigl

Caviar e lentilhas, Jorge Jesus e a língua portuguesa, leitão da bairrada e sumol, pizza e ananás, queijo de Nisa e alcatrão, sexo tântrico e transportes públicos, Weigl e Taarabt.

Taarabt

Ninguém sabe lidar com Taarabt. Se formos um adversário, o mais provável é levarmos um estalo. Se formos um colega de equipa, o mais provável é acabarmos a correr desalmadamente por causa dele. Se formos adeptos, as suas acções em campo provocam reacções algures entre o entusiasmo e uma taquicardia.

Rafa

Sortudo. Infelizmente nem todos podemos ser substituídos aos 65 minutos. Alguns de nós tiveram que ficar até ao final.

Everton

Jorge Jesus avisou na véspera que os adversários podiam defender com seis que não havia problema. Das duas uma: ou Jorge Jesus está a brincar connosco ou então não tem visto os jogos que Everton e companhia têm feito.

Waldschmidt

A prova de que coisas não estão bem é quando até os alemães jogam mal. Mandaria a nacionalidade de Waldschmidt que este fosse frio, racional e metódico à frente da baliza ou nas suas imediações. As suas últimas aparições em campo parecem o contrário: vamos sempre dar com ele encostado num canto a tirar pétalas de uma flor enquanto contém as lágrimas. Alguém que explique ao rapaz que ele está no Benfica. Se não se sente abençoado por cada dia mais vivido na baía do Seixal, o problema é dele.

Darwin

Quando é que nós enquanto sociedade decidimos que íamos deixar de usar a palavra perdulário para qualificar exibições de futebolistas? Desculpem lá, mas ninguém me consultou.

Gilberto

Não sei se foi objetivamente o melhor em campo, mas a cada jogo que passa Gilberto vai tornando evidente algo que nos devia preocupar a todos: é dos poucos que aparenta deixar tudo em campo. Eu sei. Não tem piada nenhuma.

Pedrinho

O cruzamento que fez para Darwin deixou-me furioso: não pelo cruzamento em si, nem sequer pelo falhanço do Darwin, mas por não ter acontecido 60 minutos antes.

Pizzi

Mexeu com o jogo, marcou no momento decisivo, e assistiu colegas para a reviravolta. É o nosso paracetamol. Não salva vidas mas está sempre lá para aliviar as dores de cabeça. Se as dores de cabeça forem permanentes convém ir ver isso.

Seferovic

Marcou autoritariamente o penalty decisivo, de raiva, como se fosse um direito absoluto do Benfica estar na final da Taça da Liga e só uma sucessão de infelizes coincidências nos tivesse conduzido àquele tortuoso desempate. Engana-me que eu gosto.

Gabriel

Ajudou a dar alguma ordem à casa. Falhou um remate como eu já não via desde o Beto. Lembram-se dele? Foi aos quartos de final da Champions. Eu sei. Já foi há algum tempo.