Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Um Azar do Kralj

Veiga, Juliano, Julinho, Waldschmidtsson, Luquinha, Bynia (?), não interessa. 'Acarditem', que é para ganhar no Dragão

Vasco Mendonça recupera e propõe novos petit noms com sotaque da Reboleira para certos jogadores que o caro leitor certamente já descobriu quem são. Esta é a análise humorística a Weigl, Waldschmidft & alli após o triunfo do Benfica com o Tondela

Vasco Mendonça (Um Azar do Kralj)

PATRICIA DE MELO MOREIRA

Partilhar

Vlachodimos
Só aos 86 minutos foi verdadeiramente incomodado, ele e nós, por um remate de Murillo que poderia ter deixado tudo empatado depois de uma exibição positiva. Felizmente Vlachodimos soube ser o pacemaker de que um país inteiro precisava.

Gilberto
Talvez seja isto que se pede de um atleta do Benfica nos dias que correm. Gilberto movimenta-se em campo como como se estivesse em liberdade condicional, como se a cada lance tivesse de nos convencer que merece continuar no relvado. E tem. E merece. Carrega Gil.

Otamendi
Começo a gostar demasiado dele. Tenho a certeza que isto vai acabar mal. Só não sei dizer quando. Convinha que não fosse na próxima jornada.

Verthongen
Líder. Depois de uma fase de adaptação em que parecia um veterano internacional do Uzbequistão vindo da liga cipriota com um histórico de lesões, Verthongen começa agora a perceber o que a casa gasta. As suas movimentações são quase sempre serenas e revelam que o belga já conhece grande parte dos truques da sub-espécie avançado-da-liga-Nos. Fica mais fácil para todos.

Grimaldo
Zero deslizes a defender, uma porrada de iniciativas ofensivas bem conseguidas. Só faltou um livre à trave para ser perfeito.

Weigl
Quem diria que este rapaz se ia tornar um dos esteios do onze. Já foi Veiga para o treinador, depois Juliano, e se este mês acabar como todos desejamos ainda passa a Julinho. Acardita!

Pizzi
Tanta conversa sobre quem é o melhor 8 deixou o Pizzi entediado.

Rafa
Esteve melhor na 2ª parte. EXTRAORDINÁRIO PROGRESSO!

Everton
Numa escala de lombos de pescada cozidos a cabrito do Saraiva, o futebol de Everton continua a revelar o interesse e a excitação de uma jardineira. A ideia é pobre, o sabor é ténue, as texturas desinteressantes e a sua razão de ser permanece por identificar, a não ser que estejamos numa cama de hospital sem condições físicas de procurar alternativa na cafetaria. E se porventura o leitor for um acérrimo defensor da jardineira e não perceber o que quero dizer, procure ajuda especializada.

Darwin
Enquanto não se descobre o paradeiro do jogador mortífero avistado nas primeiras semanas da época, Darwin vai fazendo pela vida e compete agora com o colega Pizzi pelo título de rei das assistências. Uma pessoa fica menos angustiada quando ganhamos com duas assistências dele, mas suspeito que os golos que este rapaz deveria marcar vão acabar por fazer falta. É talvez o melhor exemplo da ansiedade desta equipa. A cabeça dos nossos atletas parece saber como dar alegrias aos adeptos, mas o coração por vezes parece ter os pés do Bynia.

Seferovic
Haja saúde e saibamos apreciar aquilo que temos. Disseram-me isso uma vida inteira mas às vezes é preciso ver um suíço com a bola nos pés para percebermos o que isso significa.

Taarabt
Pouco tempo em campo e ainda menos protagonismo, para gáudio dos maxilares dos jogadores do Tondela.

Waldschmidt
Permitiu-me finalmente ir à casa de banho sem o pressentimento de que estaríamos empatados quando voltasse. A minha bexiga agradece, Luca. Ainda não percebi se o mister gosta dele, mas por via das dúvidas mudava o nome para Waldschmidtsson ou Luquinha.

Samaris
Ganhar no Dragão.

Chiquinho
Ganhar no Dragão.

Pedrinho
Ganhar no Dragão.