Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Um Azar do Kralj

Ronaldo foi civilizado: eu teria atirado a braçadeira ao chão, insultado o árbitro e feito um pirete à FIFA

Vasco Mendonça analisa o desempenho de Portugal no empate contra a Sérvia e deixa um recado: está farto de Fernando Santos. Pelo menos até terça-feira

Vasco Mendonça (Um Azar do Kralj)

MIGUEL A. LOPES/EPA

Partilhar

Anthony Lopes

É muito provável que até ele tenha visto o raio da bola dentro da baliza da Sérvia. Não me indignava assim com alguma coisa desde há 2 dias quando nos copiaram aquela camisola que ninguém se lembrou de certificar e que nunca ninguém vestiu.

Cédric

Parece-me o tipo de jogador que Fernando Santos aprecia. Pouco expressivo, mas certinho, é uma metáfora de um empate. Fez um cruzamento para Diogo Jota numa fase em que a defesa sérvia ensaiava uma coreografia em modo estátua.

José Fonte

Passou mais gente por ele do que pelo Canal do Suez. Infelizmente o normal funcionamento da economia global não depende de José Fonte.

Rúben Dias

Meses a treinar com o Guardiola e agora veio passar duas semanas à aldeia com a família. Antevejo o pior para o seu índice de massa corporal. Felizmente as ideias de jogo voltarão ao esperado já daqui a poucos dias quando regressar ao convívio com um treinador de futebol.

João Cancelo

O homem que participa num anúncio da Sport TV sobre a Premier League e durante esses segundos deixa o espectador com a sensação de que estará prestes a levar uma cabeçada pareceu muito tímido ontem, talvez até com algum medo. Já o meu amigo Ferraz dizia: com sérvios não se brinca.

Danilo

Que pena a clonagem de humanos ainda não ter progredido para nos permitir uma selecção de 11 Danilos a controlar as investidas de adversários e a empastelar o meio-campo. Talvez então pudéssemos viver no empate infinito com que Fernando Santos tanto sonha.

Sérgio Oliveira

Boa primeira parte, mas foi perdendo gás pelo menos até à entrevista na zona mista, quando explicou e muito bem que estes sérvios pequeninos jogaram como se fosse a final da liga das nações.

Bernardo Silva

Aquele cruzamento para o Diogo Jota é amor.

Bruno Fernandes

Nem todos os adeptos da seleção saberão a que me refiro, mas o Bruno Fernandes de ontem fez lembrar o Gabriel em 90% das suas presenças na equipa do Benfica. Uma série de passes cheios de trejeitos, quase sempre para sabe deus quem. O Gabriel talvez se sinta lisonjeado pela comparação, mas o Bruno Fernandes ficará ofendido.

Diogo Jota

Assim que marcou o primeiro golo, ouvi o narrador na tv dizer que se tratava de mais uma aposta ganha de Fernando Santos. Não sei se já repararam, mas confesso que me incomoda um bocadinho ouvir elogios a Fernando Santos nesta fase. Tenho a impressão de que o desempenho destes jogadores ocorre apesar de Fernando Santos e não por causa dele. Se não se importam, prefiro agradecer ao Nuno Espírito Santo e ao Klopp por tudo o que fizeram para transformar este miúdo no cracalhão que será o futuro do ataque da seleção.

C. Ronaldo

Meus amigos: eu teria atirado a braçadeira ao chão, insultado a família do árbitro, corrido na direção da câmara mais próxima para fazer um pirete ao dirigente da UEFA que me estivesse a ver, pontapeado a bandeirola de canto, e arrancado algumas dezenas de cadeiras das bancadas. Portanto acho que a reação do Ronaldo foi até bastante contida e civilizada.

Nuno Mendes

Já alguma vez viram este miúdo duvidar da sua capacidade numa acção que seja? Até irrita. Talvez o que nos pareceu um “cruzamento” para a área, assim entre aspas, fizesse afinal parte de um plano muito concretamente gizado pelo miúdo para nos colocar novamente na frente do marcador. Para isso para que nos pudéssemos fazer de vítimas no final, como se o empate não fosse culpa nossa. Seja o que for, correu bem.

João Félix

Felizmente teve pouco tempo para mudar o resultado.

Palhinha

O sérvio que tiver trocado de camisola com ele nem precisa de a lavar. Não chegou a transpirar.

Renato Sanches

Deixem-me só dizer mais uma vez, pelo menos até 3ª feira, que estou farto do Fernando Santos.